Surto de ebola já causou 961 mortes, aponta OMS

Os casos de doentes confirmados, prováveis e suspeitos de ebola alcançam os 1.779, indicou a OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou nesta sexta-feira que o ebola causou 29 mortes nos últimos dois dias no oeste da África, o que eleva para 961 os mortos durante o atual surto, o mais grave desde que a doença foi descoberta há quase 40 anos.

Em Guiné, onde apareceu este surto em março, foram registradas quatro mortes nas últimas 48 horas, uma na Nigéria, 12 na Libéria e igual número em Serra Leoa.

Nestes quatro países, os casos de doentes confirmados, prováveis e suspeitos de ebola alcançam os 1.779, indicou a OMS.

O país mais afetado é agora Serra Leoa, com 717 casos, seguido da Libéria, com 554, e da Guiné, com 495.

Na Nigéria, cuja situação está sendo avaliada muito de perto por instâncias sanitárias internacionais, há 13 casos.

A OMS declarou hoje o surto de ebola nestes países como uma “emergência pública sanitária de preocupação internacional” e solicitou a todos os países com recursos e capacidade que ajudem a contê-lo.

Segundo o Comitê de Emergência da organização, que avaliou as razões nas quais se baseia esta declaração de emergência, “as consequências possíveis de uma propagação internacional (da doença) são graves dada a virulência do vírus”.

Além disso, preocupa que o vírus tenha um padrão de contágio intenso dentro das comunidades, assim como nos estabelecimentos de saúde.

Isto, unido ao fato de que Guiné, Libéria e Serra Leoa têm sistemas sanitários considerados “muito frágeis”, aumenta o risco, segundo os analistas.