Serviços médicos que usam a internet ganham espaço no Brasil

Serviços que usam a internet para facilitar o atendimento médico estão se popularizando no Brasil

São Paulo – Serviços que usam a internet para facilitar o atendimento médico estão se tornando comuns no Brasil. Aos poucos, novas iniciativas têm surgido nessa área.

Um exemplo é o Quickmed, lançado em outubro. A ideia desse app é permitir que o usuário saiba se um hospital está cheio ou não antes de sair de casa (por meio de informações enviadas por outros usuários do app).

Além disso, o aplicativo também indica quais os hospitais mais próximos de um determinado endereço – o que pode ser útil em casos de emergência.

“A ideia do app é mostrar a quem quer ir a um determinado hospital como ele está naquele momento”, explicou em entrevista à EXAME.com Thiago Naves, um dos idealizadores do Quickmed.

Segundo ele, o público-alvo do serviço são pais de crianças pequenas e pessoas que cuidam de idosos. O plano de Thiago é financiar o app vendendo versões do serviço personalizadas para planos de saúde.

Ele pretende fazer isso no ano que vem, quando quer também ampliar a área com hospitais cadastrados de Belo Horizonte para o resto do país.

Até o natal, devem estar disponíveis versões gratuitas para Android e iOS do Quickmed. Por enquanto, o serviço pode ser acessado diretamente no site.

“Se uma pessoa for salva por ter usado o Quickmed, já vai ter valido à pena”, afirma Thiago.

Boaconsulta.com

Alguns serviços online ligados à área médica já operam há algum tempo no Brasil. Um exemplo disso é o Boaconsulta.com, criado em março de 2012.

Por meio desse site, o usuário consegue agendar consultas em médicos de mais de 100 diferentes especialidades. Além disso, é possível buscar apenas os profissionais conveniados a um determinado plano de saúde ou aqueles que estão mais próximos de um determinado endereço.

“A maioria dos agendamentos, profissionais e pacientes hoje estão em São Paulo”, explicou em entrevista à EXAME.com Adriano Fontana, um dos sócios do Boaconsulta.com.

Cada médico conveniado ao site paga uma mensalidade que serve de fonte de receita do serviço. Em 2015, os sócios esperam intensificar a presença do Boaconsulta.com no Rio e lançar o app do site para Android – após o anúncio da versão para iOS na penúltima semana de novembro.

“Esperamos que só o app para iOS aumente em 40% o número de consultas agendadas já nos próximos 3 meses”, revelou Fontana.