Russos levam tocha olímpica em histórica caminhada espacial

Imagens ao vivo foram transmitidas pela rede de TV estatal russa e mostraram Oleg Kotov levando a tocha apagada na mão direita

Dois astronautas russos começaram neste sábado a primeira caminhada espacial da História com a tocha olímpica, depois de deixarem a Estação Espacial Internacional (ISS), a três meses dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi.

As imagens ao vivo, transmitidas pela rede de televisão estatal russa, mostraram Oleg Kotov levando a tocha apagada em sua mão direita, enquanto seu colega, o astronauta Serguei Ryazansky, filmava o histórico acontecimento com uma câmera de alta tecnologia.

“Maravilhoso!”, disse Ryazansky enquanto Kotov agitava a tocha diante da câmera, no momento em que eles passavam sobre a Austrália, na órbita da Terra, a uma 420 quilômetros de altitude.

“É difícil acreditar que isto esteja acontecendo”, afirmou um comentador da televisão estatal. “Algo belo assim nunca tinha acontecido antes”, prosseguiu.

Os astronautas, vestidos com trajes especiais, levaram cerca de uma hora passando a tocha de um para o outro e posando para as câmeras externas dispostas do lado de fora da ISS, com a Terra ao fundo. Eles também se revelzaram filmando e tirando fotos.

As operações demandaram muitas precauções, já que a tocha tinha que ficar presa a um cabo ligado a uma estrutura metálica da ISS.

Em alguns momentos os astronautas soltaram a tocha para fazer manobras, mudando diversas vezes de posição para fazer o maior número de imagens e eternizar o evento.

Após as manobras com a tocha, os dois astronautas continuaram suas tarefas no espaço, que deveriam durar mais seis horas.

A tocha vermelha e cinza levada ao espaço é uma das 16.000 utilizadas há um mês na Rússia para o maior percurso da história olímpica (65.000 km) até a abertura dos Jogos de Inverno, em 7 de fevereiro de 2014, em Sochi, entre o mar Negro e as montanhas do Cáucaso.

A única diferença é que a tocha ficou apagada durante toda a viagem espacial por razões de segurança. Acender a chama no espaço seria impossível devido à ausência de oxigênio.

[quebra]

Retorno na segunda-feira – Serguei Ryazansky e Oleg Kotov chegaram à ISS em 26 de setembro a bordo de uma nave espacial Soyuz, lançada da base espacial russa de Baikonur, no Cazaquistão, e se disseram muito felizes com a missão.

Além de ser transmitida pela televisão russa, a decolagem da Soyuz que levou a tocha – decorada com a logomarca dos Jogos de Sochi e com os anéis olímpicos – foi transmitida ao vivo num telão montado na praça Times Square, em Nova York, um dos endereços mais movimentados do mundo.

A tocha olímpica já foi havia sido levada ao espaço a bordo de uma nave antes dos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, e de Sydney, em 2000, mas ela nunca havia saído da termosfera.

Depois desta etapa inédita, a tocha retornará à Terra a bordo de uma cápsula Soyuz, acompanhada do cosmonauta Fiodor Iourtchikhin (russo) e dos astronautas Karen Nyberg (americana) e Luca Parmitano (italiano), que concluem uma temporada de cinco meses e meio no espaço.

A aterrissagem está prevista para as 00h50 da próxima segunda-feira, 11 de novembro, nas estepes do Cazaquistão.

Após a vigem espacial, a chama olímpica visitará as profundezas do lago Baikal, na Sibéria, depois de já ter passado pelo Polo Norte, em um périplo de 123 dias que começou em 7 de outubro em Moscou e que terminará com a cerimônia de abertura dos Jogos.