Robô viaja de carona e sobrevive ao mundo dos humanos

Colocado à beira da estrada em Halifax, capital da província de Nova Escócia, HitchBot percorreu por conta própria pouco mais de 6.000 quilômetros

Um robô chamado HitchBot partiu da costa atlântica do Canadá e, entre uma carona e outra, chegou nesta quinta-feira ao outro extremo do país, em uma iniciativa para avaliar a relação entre humanos e robôs.

Colocado à beira da estrada em 27 de julho em Halifax, cidade costeira e capital da província de Nova Escócia (leste), HitchBot percorreu por conta própria pouco mais de 6.000 quilômetros e chegou a Victoria, capital da Columbia Britância, na costa do Pacífico.

O divertido caroneiro atravessou o país de leste a oeste sem dificuldades, graças à solidariedade de motoristas curiosos, que o embarcavam em seus veículos por alguns quilômetros.

Houve uma ocasião, inclusive, em que um motorista o transportou por cerca de 1.000 quilômetros.

A iniciativa foi concebida por um grupo de pesquisadores da Universidade Ryerson de Toronto.

“Este projeto põe em questão nosso medo da tecnologia e nos coloca a pergunta: ‘Os robôs podem confiar nos humanos?'”, disse à AFP Frauke Zeller, um dos criadores de HitchBot, no começo da travessia.

“Nosso objetivo é promover o debate na sociedade a respeito da nossa relação com a tecnologia e os robôs”, acrescentou.

Para celebrar o sucesso da viagem, o robô, equipado com botas amarelas, flutuadores de piscina nos braços e pernas e projetado para ser totalmente dependente das pessoas, tinha que estar presente em Victoria nesta quinta-feira.

A festa de boas-vindas era organizada na galeria Open Space, que promove a arte experimental.

Os cientistas analisarão os comentários publicados nas redes sociais durante todo o percurso para ver o que se pode depreender do comportamento das pessoas com relação à interação homem-máquina.