Risco de infarto aumenta durante a Copa do Mundo

Pesquisa da Sociedade Brasileira de Cardiologia estuda relação entre desempenho da seleção brasileira e ocorrência de problemas cardio-vasculares

São Paulo – A Copa do Mundo está mexendo de verdade com o coração dos brasileiros. Pelo menos, é o que tem constatado a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Em parceria com o Instituto Dante Pazzanese (IDP), a entidade vem realizando o monitoramento de 6.000 torcedores com problemas cardíacos por meio de 9 hospitais. A ideia é observar como eles se comportam antes, durante e depois das partidas do Brasil no torneio.

“Além da morte no jogo entre Brasil e Chile, registramos também alguns casos de infarto em Londrina durante o jogo Brasil e Camarões”, afirma Nabil Ghorayeb, médico ligado à SBC.

Juntamente com o doutor Álvaro Avezum, do IDP, Ghorayeb coordena um estudo a ser publicado até o fim do ano com base no levantamento que está sendo feito agora.

Emoção x Coração

De acordo com Ghorayeb, estudos revelam que eventos como tragédias climáticas e derrotas esportivas geram um grande impacto emocional – que se reflete no aumento da ocorrência de problemas cardio-vasculares.

O fenômeno vem sendo verificado nas últimas Copas do Mundo. Segundo o médico, o número de pessoas com problemas cardíacos foi maior na Alemanha nos dias em que a seleção daquele país jogou mal na Copa de 2006.

“Quando o Brasil foi eliminado pela Holanda na Copa 2010, registramos um aumento de 28% nos atendimentos nos prontos-socorros”, afirma Ghorayeb.

Para ele, o desempenho da seleção brasileira dentro de campo está diretamente ligado ao fenômeno e o próximo jogo promete ser “uma loucura”. “Quanto mais insegurança a seleção passa para o público, maior o número de problemas registrados”, afirma o médico.