Pesquisadores irão tentar acordar sonda Philae de hibernação em cometa

A Philae está hibernando no 67P desde novembro, esperando a aproximação do cometa com o sol

Os cientistas da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) irão tentar a partir desta quinta (12) fazer contato com Philae, após quatro meses de hibernação forçada.

Em novembro de 2014, a espaçonave conseguiu realizar o primeiro pouso bem sucedido de um objeto humano em um cometa, mas problemas na aterrisagem fizeram com que a Philae ficasse em uma região com pouco sol do 67P/Churyumov-Gerasimenko.

O módulo conseguiu realizar alguns experimentos durante os três dias que conseguiu se manter ativa, mas entrou em estado de economia de energia antes que sua bateria se esgotasse.

Com o cometa mais próximo do sol, os cientistas da ESA esperam que a Philae consiga “acordar” nas próximas semanas para completar sua missão.

“A Philae recebe atualmente quase duas vezes mais energia solar do que recebia em novembro”, afirma Stephan Ulamec, líder da equipe que coordena a Philae.

“Provavelmente ainda estará frio demais para o módulo acordar, mas vale a pena tentar. As probabilidades irão aumentar a cada dia que passar”, diz Ulamec.

Para que o módulo acorde, sua temperatura interna precisa estar, pelo menos, a -45ºC e seus painéis solares devem receber um mínimo de 5,5 W de emergia.

Assim que os sistemas perceberem que as condições estão propícias, o módulo irá tentar carregar sua bateria e então tentar manter comunicação com a sonda Rosetta, que transmite as informações da Philae para a Terra.

Até o dia 20 de março, a Rosetta fará alguns rasantes sobre o lado do cometa onde está a Philae, enquanto ela estiver exposta à luz do sol (um período que dura apenas 1 hora).

Se a Rosetta conseguir se comunicar com o módulo, os pesquisadores da ESA conseguirão avaliar se poderão religar completamente os sistemas da Philae.