Pesquisadores decifram genoma de espécie de árvore e identificam 50 mil genes

As equipes afirmam ter identificado pelo menos 50.000 genes responsáveis pela longevidade da árvore

Pesquisadores franceses anunciaram nesta segunda-feira (11) ter conseguido decifrar o genoma de uma árvore emblemática, o carvalho inglês, o que deve ajudar a compreender melhor os mecanismos de adaptação das árvores às mudanças climáticas.

Depois de três anos de trabalho, as equipes do Inra (Instituto Nacional de Pesquisa Agrícola) e do CEA (Comitê de Energia Atômica e Energias Alternativas) conseguiram sequenciar o genoma do “Quercus robur”, o famoso carvalho Inglês – típico das florestas temperadas da Europa.

“Este é o primeiro sequenciamento de uma espécie do gênero Quercus, muito difundida no hemisfério norte”, ressaltaram Inra e CEA em um comunicado conjunto.

Os pesquisadores decifraram toda a informação genética transportada pelos 12 pares de cromossomos do carvalho, símbolo de resistência e durabilidade. As equipes afirmam ter identificado pelo menos 50.000 genes.

O trabalho é tema de um artigo publicado na revista Molecular Ecology Resources, antes que os resultados finalizados sejam publicados nos próximos meses. A sequenciação do genoma do carvalho inglês “é uma porta de entrada para analisar e compreender a função dos genes desta árvore”, explicam Inra e CEA.

Ele permitirá estudar a regulação interna de espécies de vida longa expostas a grandes variações anuais no clima ou a eventos extremos em suas vidas, disseram os pesquisadores. Esta pesquisa também irá facilitar a identificação de genes envolvidos na adaptação ao ambiente ou nas relações simbióticas entre as raízes do carvalho e do famoso micélio da trufa.

“Esta pesquisa é um avanço muito importante para conhecermos a biologia, a genética e a evolução das árvores”, segundo o comunicado.