Pesquisa comprova regra dos 5 segundos para comida que cai

Segundo estudo, o tempo é um fator significativo para que as bactérias que estão no solo sejam transferidas para a comida

A comida que você deixa cair no chão, mas pega depois de poucos segundos tem menos chances de conter bactérias do que se você deixá-la muito tempo por lá, de acordo com uma pesquisa conduzida pela escola de ciências da vida e saúde, da Universidade de Aston, na Inglaterra.

Com isso, há evidências científicas de que o mito urbano conhecido como regra dos cinco segundos é parcialmente real, que consiste na crença de que a se comida cair no chão, mas for resgatada em até cinco segundos, ela não fará mal à saúde.

As conclusões do estudo são: O tempo é um fator significativo para que as bacterias que estão no solo sejam transferidas para a comida; e o tipo de solo em que o alimento caiu também influencia nesse fenômeno. Superfícies acarpetadas têm menos chances de tranferir bactérias do que as que contam com piso laminado ou azulejos. Entretanto, alimentos pegajosos e úmidos estão mais suscetíveis à contaminação quando caem – como aquele pão que cai sempre com a manteiga para baixo.

A pesquisa analisou os níveis de bactérias conhecidas, como a E. coli, em alguns alimentos, como torradas, biscoitos, balas e massas. Os objetos permaneceram no chão durante um período de 3 a 30 segundos.

“Consumir comida que caiu ao chão ainda envolve riscos de infecção, que dependem muito do tipo de bactéria presente no piso no momento da queda”, afirma Anthony Hilton, professor de Microbiologia que coordenou o estudo.

A equipe de pesquisa também fez uma enquete, na qual 87% dos entrevistados disseram que comeriam ou já comeram algo que estivesse caído no chão por poucos segundos. As mulheres são as que mais seguem a regra dos cinco segundos, já que 81% das entrevistadas responderam que acreditam nela.

“Nosso estudo oferece algum tipo de alívio às pessoas que decidem aplicar a regra dos cinco segundos”, disse Hilton.