Pacientes sem sintomas aceleraram propagação do novo coronavírus

Transmissão furtiva do vírus está entre os fatores que levaram à pandemia de Covid-19

Os pacientes contaminados com o novo coronavírus (Covid-19) que não manifestaram sintomas da doença aceleraram a propagação do vírus na sociedade, de acordo com um novo estudo científico publicado pela revista Science e feito por um time de cientistas de universidades da China, dos Estados Unidos e da Inglaterra.

A pesquisa indica que 79% dos casos reportados de contágio do Covid-19 vieram de indivíduos que não reportaram sintomas. Na visão dos pesquisadores, é por isso que o vírus se propagou rapidamente pelo mundo.

“A explosão dos casos de Covid-19 na China foi causada principalmente por indivíduos com sintomas leves, limitados ou inexistentes que não foram detectados”, afirma, em nota, o coautor do estudo, Jeffrey Shaman, da Mailman School da Universidade de Colúmbia. “Dependendo de sua contagiosidade e número, casos não detectados podem expor uma parcela muito maior da população ao vírus do que ocorreria de outras formas. Descobrimos que a China tinha muitos indivíduos infectados com o Covid-19 não detectados e contagiosos. As transmissões furtivas continuarão a apresentar um grande desafio para a contenção deste surto daqui para a frente.”

Os pesquisadores admitem que essa propagação silenciosa do vírus dificulta a modelagem de espalhamento feita no estudo. Ainda assim, na visão deles, a limitação de viagens internacionais e medidas de higiene tomadas pelos indivíduos ajudam a conter o avanço do vírus pelo mundo.