OMS eleva para mais de 8 mil número de infectados pelo ebola

No relatório sobre o plano de resposta contra o ebola, publicado duas vezes por semana, a OMS adverte que 'a tendência de agravamento da situação continua'

A Organização Mundial da Saúde (OMS) elevou nesta quarta-feira para 8.033 o número de pessoas infectadas pelo ebola desde o começo da atual epidemia, em março, na África Ocidental, com 3.879 mortes decorrentes do vírus.

O caso da auxiliar de enfermagem contaminada na Espanha não foi contabilizado nesta estatística porque foi notificado depois do fechamento da apuração, em 5 de setembro.

No relatório sobre o plano de resposta contra o ebola, publicado duas vezes por semana, a OMS adverte que “a tendência de agravamento da situação continua”.

“A situação em Guiné, Libéria e Serra Leoa continua a se deteriorar, com uma transmissão ampla e persistente do vírus do ebola”, assinalou a organização.

Além disso, as dificuldades para coletar dados confiáveis na Libéria continuam, e por isso a OMS considera que o suposto arrefecimento no ritmo de aumento de casos não é verdadeiro.

Pelo contrário, isso “reflete a deterioração na capacidade dos que estão tentando responder (à epidemia) no terreno para registrar dados epidemiológicos exatos”, apontou.

Do escritório regional para a Europa, a OMS ponderou que “casos esporádicos” de ebola neste continente são inevitáveis, devido às viagens entre Europa e os países afetados.

“No entanto, o risco de uma propagação é evitável e extremamente baixo”, considerando que os países europeus estão entre os mais bem preparados do mundo para responder às febres hemorrágicas virais, como é o caso do ebola, acrescentou.