OMS eleva a 887 número de mortos por epidemia de Ebola na África

A epidemia da febre hemorrágica Ebola matou 887 pessoas na África, segundo um novo balanço, divulgado nesta segunda-feira pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

A epidemia da febre hemorrágica Ebola matou 887 pessoas na África, segundo um novo balanço, divulgado nesta segunda-feira pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Este balanço registrou, ainda, 1.603 casos em quatro países do oeste da África: 485 na Guiné (sendo 340 confirmados, 133 prováveis e 12 suspeitos) com 358 mortos; 468 na Libéria (129 confirmados, 234 prováveis e 105 suspeitos) com 255 motos; 646 em Serra Leoa (540 confirmados, 46 prováveis e 60 suspeitos) e 273 mortos; e 4 na Nigéria (nenhum caso confirmado, 3 prováveis e 1 suspeito) e um morto.

O balanço da epidemia da febre hemorrágica no oeste da África, grande parte relacionada ao vírus Ebola, não para de aumentar. Em 27 de julho, o balanço anterior da OMS tinha registrado mais de 1.300 casos com 729 mortos.

A epidemia foi declarada no começo do ano na Guiné, antes de avançar para a Libéria e Serra Leoa.

A OMS ainda não recomenda restrições a viagens ou trocas comerciais entre Guiné, Libéria, Serra Leoa ou Nigéria, com base nas informações atualmente disponíveis referentes a esta epidemia, que começa a preocupar o resto do mundo.

O vírus Ebola se manifesta principalmente por hemorragias, vômitos e diarreias. Sua taxa de mortalidade pode variar entre 25% e 90% e não há vacina homologada para combatê-lo. É transmitido por contato direto com sangue, fluidos biológicos ou tecidos de pessoas ou animais infectados.