Obama encontra-se com Lucy, ancestral mais antigo do mundo

O presidente americano conheceu Lucy, o esqueleto parcial de hominídeo que viveu há 3,2 milhões de anos

Adis-Abeba – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, viajou à África em parte para se conectar com o continente dos seus antepassados.

Nesta segunda-feira, ele conheceu um ancestral de um tipo diferente: “Lucy”, o esqueleto parcial de um hominídeo que viveu há 3,2 milhões de anos, descoberto na Etiópia.

“Isso é maravilhoso”, disse o presidente sobre os ossos, que foram levados especialmente para ele de um museu para o Palácio Nacional, onde participava de um jantar oficial.

Obama está em viagem por dois países da África. Ele já passou pelo Quênia, onde seu pai nasceu, e chegou à Etiópia no domingo. Na terça-feira, ele voltará aos EUA.

Cientistas disseram a repórteres que o valioso esqueleto foi transportado em segredo do museu e sob forte esquema de segurança. Obama foi convidado a tocar um dos ossos, algo geralmente permitido apenas a cientistas.

“Honramos a Etiópia como o berço da humanidade. Na verdade, eu acabei de me encontrar com Lucy, nossa ancestral mais antiga”, disse Obama a convidados do jantar.  “Quando vemos nosso ancestral… somos lembrados que os etíopes, os norte-americanos, todos os povos do mundo são parte da mesma família humana, da mesma cadeia”, disse Obama em meio a aplausos.