O que aconteceu com as formigas do sul da Argentina?

Regiões da Patagônia estão vendo suas formigas desaparecem. Isso pode ser resultado de ações de florestamento não planejadas

São Paulo – Grande parte das formigas estão desaparecendo de algumas regiões da Patagônia, no sul da Argentina. Houve uma grande diminuição na abundância de artrópodes em geral.

Uma possível resposta para esse fenômeno é a plantação de árvores não nativas da região. Quem faz essa análise é a bióloga Adelia González Arzac. “Nas zonas áridas, onde substituíram a vegetação de estepe pelo plantio de árvores, observamos que os artrópodes do solo diminuíram”, disse ela à BBC.

Algumas regiões da Patagônia passaram por florestamento não planejado.

“Vimos mudanças na produtividade primária (isto é, no crescimento das plantas nativas), alterações na abundância da fauna do solo, nas cadeias alimentares, na decomposição e reciclagem do carbono, e não sabemos quais serão as consequências dessas mudanças”, disse Amy Austin, pesquisadora da Universidade de Buenos Aires à BBC.

De acordo com a biólogo Arzac, esse tipo de ação costuma trazer novas espécies de animais e formigas, mas nesse caso aconteceu o contrário. Os cientistas, no entanto, não sabem exatamente o motivo disso. O objetivo é continuar a pesquisa em busca de uma resposta.

O florestamento da Patagônia teve início nos anos 1970. O governo estimulava essa prática com foco em produção de celulose e papel.

Com as questões ambientais recentes e as mudanças climáticas, o florestamento apareceu como uma possibilidade de frear o aquecimento do mundo. O exemplo da Patagônia é importante nesse momento. Mostra que é preciso planejamento antes de ações ambientais.

Os pesquisadores não sabem como corrigir o problema. Uma alternativa seria remover as árvores não nativas da região. Por outro lado, eles não têm certeza se isso ajudaria a trazer a abundância de formigas de volta.