Nuvem de poeira e aurora são detectadas em Marte

Aeronave que circula por Marte detectou uma poeira misteriosa e uma aurora vibrante, ambos fenômenos inesperados no planeta

Uma aeronave da NASA que circula por Marte detectou uma poeira misteriosa e uma aurora vibrante, ambos fenômenos inesperados no planeta vizinho à Terra – disseram pesquisadores nesta quarta-feira.

A sonda da NASA MAVEN (Mars Atmosphere and Volatile Evolution, em inglês) detectou a presença de uma aurora – conhecida na Terra como aurora boreal – em dezembro, e ganharam o apelido de “luzes de Natal”, segundo comunicado divulgado pela agência espacial, que apresentou as descobertas numa conferência de astronomia no Texas.

“Durante cinco dias, pouco antes de 25 de dezembro, a MAVEN viu um brilho de aurora ultravioleta abrangendo o hemisfério norte”, disse o comunicado.

O fenômeno da aurora ocorre quando tempestades geomagnéticas desencadeadas por erupções no Sol provocam choques entre partículas energéticas – como os elétrons – com a atmosfera, fazendo com que o gás brilhe.

“O que é especialmente surpreendente sobre a aurora observada é como ela ocorre numa área profunda da atmosfera – muito mais profunda do que na Terra ou em outros lugares de Marte”, disse Arnaud Stiepen, membro da equipe de Espectrografia e Imagem Ultravioleta da Universidade do Colorado.

“Os elétrons que produzem esta aurora devem ser muito energéticos”.

Especialistas acreditam que a fonte das partículas energéticas da aurora de Marte é o Sol, porque o instrumento utilizado pela sonda MAVEN “detectou um grande aumento de elétrons energéticos no início da aurora”, afirmou a NASA.

Como Marte perdeu o campo magnético protetor há bilhões de anos atrás, as partículas solares podem atingir diretamente a atmosfera e penetrar profundamente.

Com a ajuda da sonda MAVEN, os cientistas também observaram uma nuvem de poeira incomum cerca de 150 quilômetros acima da superfície do planeta vermelho.

A origem da poeira é desconhecida, assim como seu conteúdo e permanência.

“Possíveis fontes para a poeira observada incluem poeira que subiu da atmosfera; poeira proveniente de Phobos e Deimos, as duas luas de Marte; pó se movendo no vento solar para longe do Sol; ou detritos de cometas que orbitam o Sol”, afirmou a NASA.

“Nenhum processo conhecido em Marte pode explicar o aparecimento de poeira nos locais observados a partir de qualquer uma destas fontes”.

As descobertas foram apresentadas na 46ª Conferencia de Ciência Lunar e Planetária em Woodlands, no estado norte-americano do Texas.

A sonda MAVEN foi lançada em direção a Marte em novembro de 2013, em missão para estudar como o planeta perdeu a maior parte de sua água e atmosfera.

A sonda não tripulada está no quarto mês de sua missão de um ano.