Nova técnica permite recarga de gadgets dentro do corpo

Nova técnica desenvolvida na Universidade de Stanford permite recarga de implantes eletrônicos por aproximação

São Paulo – A recarga de implantes eletrônicos é hoje um dos obstáculos à união plena da medicina com a tecnologia. Alimentar estes gadgets de forma prática ainda é um grande desafio na área de saúde.

Porém, um estudo coordenado por pesquisadores da Universidade de Stanford parece apontar uma solução para esta questão.

Publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences, o trabalho aborda uma tecnologia que permite que gadgets sem bateria acoplada funcionem dentro do corpo.

Isso reduz o tamanho dos implantes eletrônicos e pode torná-los mais viáveis no futuro.

Na prática

Na prática, a nova técnica realiza a recarga de dispositivos que ficam dentro do corpo por meio de uma aproximação média entre uma fonte de energia externa e o gadget que fica dentro do corpo e conta com o pequeno componente na foto abaixo.

(Stanford/Youtube)

É mais ou menos o que já acontece hoje com alguns tablets e smartphones – que podem ser recarregados por aproximação.

“Essas características devem aumentar substancialmente a viabilidade de implantes eletrônicos em organismos vivos”, afirma o engenheiro John Ho, que participou da pesquisa.

De acordo com os cientistas, a tecnologia não é isenta de riscos – mas é bem mais segura do que os métodos utilizados atualmente.

Testada com sucesso em porcos e coelhos, a técnica deve em breve ser adaptada para testes com humanos.