Nova ilha no Pacífico oferece chaves para buscar vida em Marte

Ilha, formada há três anos a partir de lava vulcânica, oferece a oportunidade de estudar os ciclos de vida em um espaço recentemente criado

A ilha mais nova que existe na Terra, formada a partir de lava vulcânica em uma área remota do Pacífico há três anos, pode mostrar aos cientistas as chaves para para encontrar rastros de vida em Marte, informou a Nasa.

A ilha de Hunga Tonga Hunga Ha’apai surgiu 65 quilômetros ao noroeste da capital de Tonga, Nukualofa, no fim de 2014.

A princípio os cientistas esperavam que a ilha, criada por material vulcânico, fosse levada pelo mar em poucos meses.

Mas a Nasa informou que a ilha mostrou que era mais resistente do que se acreditava, provavelmente porque a combinação entre as cinzas e a água quente criou uma substância parecida ao cimento conhecida como tufo vulcânico.

Embora a ilha – que a princípio media um quilômetro de largura e dois de comprimento, com uma altura de quase 100 metros – tenha registrado uma erosão significativa, segundo as projeções pode durar entre seis e 30 anos.

Jim Garvin, diretor científico do Centro Goddard de Voos Espaciais da NASA, afirmou que a ilha oferece uma oportunidade pouco frequente para estudar os ciclos de vida em um espaço recentemente criado.

Para ele, o ambiente de Marte é similar ao de uma ilha vulcânica recém surgida no oceano.

A análise de como a vida vai surgir nesta ilha poderia ajudar os cientistas a identificar locais onde buscar evidência de vida em Marte, afirmou o cientista.

“Isto é algo que nos esforçamos muito para compreender porque pode ter produzido as condições necessárias para vida microbiana”, disse.