NASA observa eclipse fora do Sistema Solar

observações de raios-X detectaram um planeta fora do Sistema Solar enquanto passava na frente de seu Sol

São Paulo – A NASA (agência espacial americana) divulgou uma imagem feita a partir das observações de um eclipse fora do Sistema Solar. Essa é a primeira vez que um fenômeno deste tipo é observado.

O evento foi visto pelo Telescópio Chandra, da Nasa, e pelo Observatório XMM Newton, da agência espacial europeia (ESA). As observações de raios-X feitas pelo telescópio detectaram um exoplaneta (planeta fora do Sistema Solar) enquanto passava na frente de seu Sol. Durante o eclipse, houve um alinhamento vantajoso do planeta, conhecido como HD 189733b, e seu Sol no sistema HD 189733, que está a 63 anos-luz da Terra.

O planeta é uma espécie de Júpiter quente. Ou seja, tem o tamanho parecido com o de Júpiter. Mas tem uma órbita estreita em torno de sua estrela. HD 189733b é mais de 30 vezes mais perto de sua estrela do que a Terra é o sol. O planeta orbita seu Sol a cada 2,2 dias.

As características do HD 189733b o tornam um alvo preferencial para os astrônomos que buscam novas informações sobre exoplanetas e suas atmosferas. Estudos feitos a partir das observações com o Chandra e com o XMM Newton revelaram pistas sobre o tamanho da atmosfera do planeta. Dados de raios-X sugerem que há camadas de atmosfera do planeta que são transparentes à luz óptica. Mas os cientistas precisam de mais dados para confirmar essa ideia.

A estrela principal desse sistema solar tem uma estrela vermelha e fraca como companheira. As estrelas, provavelmente, se formaram ao mesmo tempo, mas a estrela principal parece ser bem mais jovem do que sua companheira. Além de girar mais rápido, apresenta níveis mais elevados de atividade magnética e é cerca de 30 vezes mais brilhante em raios-X.

A suposta explicação para o comportamento diferente entre as estrelas pode estar no planeta gigante ao seu redor. Essa espécie de Júpiter quente pode ajudar a manter a rotação da estrela e uma alta atividade magnética de alta por causa da força de maré.