NASA: grandes asteroides representam ameaça remota à Terra

Dados revelam que 93% dos asteroides com 1km de diâmetro ou mais já foram localizados

Nova York – Há menos asteróides gigantes no espaço do que se acreditava, e a maioria dos grandes localizados próximo à Terra já foram localizados, motivo pelo qual há uma ameaça remota de que algum deles atinja o planeta, anunciou a NASA nesta quinta-feira.

As últimas informações do Wide-Field Infrared Survey Explorer, o telescópio Wise da agência espacial americana, revelam que 93% dos asteroides com 1km de diâmetro ou mais já foram localizados.

Os cientistas pensavam que houvesse mil deles, mas revisaram essa cifra para 981, dos quais 911 foram localizados e estão sendo monitorados.

“O risco de que um asteroide realmente grande atinja a Terra antes de que possamos localizá-lo e dar o alerta caiu consideravelmente”, disse Tim Spahr, diretor do Centro Minor Planet do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica em Cambridge, Massachusetts.

O risco permanece entre os asteroides de tamanho médio, com 100m ou mais. Dados do Wise revelam que existem 19.500 deles, e não 35.000, como se acreditava. Apenas 5.200 são monitorados.

Um asteróide possui uma órbita próxima da Terra quando passa a menos de 195 milhões de quilômetros do Sol.

Amy Mainzer, principal autora da última pesquisa publicada no “Astrophysical Journal”, disse que o Wise deu aos astrônomos uma ideia mais clara do que há no espaço. “É como um censo, quando se pesquisa um pequeno grupo de pessoas para tirar conclusões do todo.”