Médicos aprovam uso de WhatsApp para contato com pacientes

Pesquisa da Associação Paulista de Medicina apontou que médicos aprovam uso de tecnologia; estudo acendeu debate sobre telemedicina no país

São Paulo — Uma pesquisa feita com 848 médicos de São Paulo pela Associação Paulista de Medicina (APM) apontou que 85% dos profissionais são favoráveis ao uso do WhatsApp para falar com pacientes.

A maior parte dos médicos (42%) que concordam com o uso do aplicativo o utiliza para tirar dúvidas dos pacientes entre consultas.

Antonio Carlos Endrigo, diretor de TI da APM, atenta, contudo, que o WhatsApp não foi desenvolvido pensando na relação entre médicos e pacientes.

“Na falta de algo semelhante, o aplicativo é usado para este fim, mas existe um problema: acaba não havendo um registro do atendimento, ou ele pode ser modificado. É preciso ter uma regulamentação que abra a possibilidade de empresas de tecnologia adequadas possam atender o setor de saúde”, diz.

Para Robert Wah, endocrinologista, ex-presidente da Associação Americana de Medicina (Ama, na sigla em inglês) e consultor global do setor de saúde da DXC Technology, pensar na questão de segurança é fundamental, uma vez que o vazamento de informações médicas pode ter consequências irreparáveis para os pacientes. “Não é como um cartão de crédito que você pode cancelar. Por milhares de anos, pacientes fornecem informações pessoais para os médicos poderem cuidar melhor, é uma relação de confiança. Como médico, tenho obrigação de manter o sigilo.”

A solução, segundo Wah, é colocar a segurança de tecnologias relacionadas a saúde no mesmo patamar da segurança presente no mercado financeiro, por exemplo. “O WhatsApp é conveniente mas não é seguro para informações privadas. Às vezes as pessoas fazem o que é conveniente e não o que é seguro. Temos que aprender com outros mercados como nos proteger”, diz.

Atualmente, não existe uma regulamentação recente no Conselho Federal de Medicina (CFM) sobre o uso de novas tecnologias na prática médica.

“Existe uma preocupação legítima do CFM com a questão ética com a segurança, mas acho que existe um aspecto de não ter a clara percepção do impacto positivo que a telemedicina pode ter e existe certo corporativismo”, afirma Jefferson Fernandes, presidente do conselho curador do Global Summit Telemedicine & Digital Health (evento sobre telemedicina que acontecerá em abril de 2019). “Estamos muito atrasados com relação a outros países.”

A pesquisa da APM, no entanto, aponta uma contradição. Apesar dos médicos serem favoráveis ao uso do WhatsApp, 57% dos entrevistados são contra a realização de consultas à distância.

Nos Estados Unidos, o uso da telemedicina tem avançado. Segundo a Associação Americana de Telemedicina, quase 1 milhão de pacientes usam monitores cardíacos remotos. Em 2011, o departamento de saúde dos veteranos de guerra realizou mais 300 mil consultas à distância.

Para o Wah, a tecnologia pode diminuir a distância entre pacientes e médicos e é uma ferramenta poderosa para cuidar melhor de pacientes. “Não precisa ser nada sofisticado, para algumas pessoas, um lembrete por mensagem de exames é o suficiente. E isso é considerado telemedicina também”, afirma.

Mesmo assim, os médicos acreditam que devem se adaptar à realidade da presença da tecnologia na saúde. No Brasil, o mercado de telemedicina toma conta de cerca de 28% do mercado de saúde. Além do WhatsApp, o prontuário eletrônico é outra ferramenta bastante popular: é usado por 77% dos médicos paulistas entrevistados pela APM.

Para o neurologista Jefferson Fernandes, presidente do conselho curador do Global Summit Telemedicine & Digital Health (evento sobre telemedicina que acontecerá em abril de 2019), o Sistema Único de Saúde (SUS) pode se beneficiar amplamente com a telemedicina. Para isso, é preciso haver pressão do Ministério da Saúde para uma regulamentação também.

“Hoje existe o Telessaúde Brasil Redes, que ainda precisa evoluir. Mas o paciente leva muito tempo para marcar consulta pelo SUS, então tem retornos que podem ser feitos à distância, o que reduz a fila no sistema”, diz Fernandes. “Em países como a Índia, isso é muito utilizado e leva especialistas para lugares onde não tem.”

Segundo médico, do ponto de vista da economia, a telemedicina barateia os custos de saúde. “O que é mais caro é o profissional de saúde. O Brasil consegue, sem dúvida reduziria os custos, poderia atender milhões de pessoas por meio da telemedicina”, diz Fernandes.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Hello

    I have a short question.
    I wanted to order a dress from you, but I saw that it is sold out,
    the dress looks like this on this site https://bit.ly/Dressesblog I hope you will sell it again soon,

    thanks

  2. Hi abril.com.br

    SEO Link building is a process that requires a lot of time.
    If you aren’t using SEO software then you will know the amount of work load involved in creating accounts, confirming emails and submitting your contents to thousands of websites in proper time and completely automated.

    With THIS SOFTWARE the link submission process will be the easiest task and completely automated, you will be able to build unlimited number of links and increase traffic to your websites which will lead to a higher number of customers and much more sales for you.
    With the best user interface ever, you just need to have simple software knowledge and you will easily be able to make your own SEO link building campaigns.

    The best SEO software you will ever own, and we can confidently say that there is no other software on the market that can compete with such intelligent and fully automatic features.
    The friendly user interface, smart tools and the simplicity of the tasks are making THIS SOFTWARE the best tool on the market.

    IF YOU’RE INTERESTED, CONTACT ME ==> seosubmitter@mail.com

    Regards, Arlie
    Italy, CN, Caramagna Piemonte, 12030, Via Francesco Saverio Correra 65

  3. Hello!

    Nice flower content you have on your site. You know, MOST clients look at your review pages before visiting and ordering at your business.
    Over 63% of them check Google first! We feel that your business could use a little help at Google and Zomato.

    Most consumers avoid leaving a Google review unless they have a POOR experience to vent!
    We have just the team from USA/Canada to come up with great reviews you need.
    Our services help maintain at least a 4 star rating in order to avoid losing business to competitors!

    We provide reliable Google, SiteJabber, TrustPilot, TripAdvisor, Facebook, Zomato, YellowPages reviews in bulk, starting at $20 in as little as 5 days!

    Check out our work and satisfied clients here:
    http://bit.ly/ormworks

    Thank you for your time,

    Have a great day.
    Julia