Livro revela biodiversidade da Mata Atlântica preservada

O fotógrafo Octavio Campos Salles mostra a diversidade de área conservada do bioma em seu novo livro “Ka’á-eté: A Floresta Atlântica Intocada”

Nem tudo está perdido para a Mata Atlântica. É isso o que o fotógrafo Octavio Campos Salles pretende retratar nas 161 fotos do seu novo livro Ka’á-eté: A Floresta Atlântica Intocada. “Ainda restam áreas grandes de floresta com uma variedade impressionante de vida”, acredita Salles.

A obra contou com a participação de dois jornalistas do Planeta Sustentável: Afonso Capelas Jr., blogueiro do Sustentável na Prática, editou os textos, e Matthew Shirts, coordenador editorial da nossa iniciativa, escreveu o prefácio.

Ka’á-eté (termo em tupi que significa “floresta verdadeira”) revela a biodiversidade da área preservada do Contínuo Ecológico de Paranapiacaba, região que faz parte da Serra do Mar e da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, reconhecida em 1999 pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. 

O Contínuo – responsável por diversos serviços ambientais, entre eles a manutenção da umidade e do regime de chuvas – fascina o fotógrafo desde a infância. “Essa natureza selvagem tão próxima a nós precisa ser conhecida, admirada e, assim, preservada”, diz Salles, que é formado em Administração, mas especializado em fotografia de natureza há oito anos.

Imagens panorâmicas da floresta e fotografias da flora e de animais ariscos, como o gavião-de-penacho, compõem a obra, que faz parte de projeto com um objetivo maior: disseminar a importância da preservação.

A incrível biodiversidade da Mata Atlântica preservada, em fotos
           
  Clique para abrir o link no navegador
Embed da galeria:
Clique para abrir o link no navegador