Lançamento da cápsula Orion é adiado por problema em válvula do foguete

A Nasa detectou que uma das válvulas de combustível e drenagem do foguete Delta IV não fechou corretamente

A Agência Espacial Americana (Nasa) adiou novamente o lançamento do voo de teste não-tripulado da cápsula Orion, desenhada para explorar o espaço profundo, por conta de um problema no foguete propulsor Delta IV.

A Nasa detectou que uma das válvulas de combustível e drenagem do foguete Delta IV não fechou corretamente, por isso que os técnicos trabalham para superar este problema e continuar com a missão.

O voo estava inicialmente previsto para as 7h05 local (9h05, em Brasília) mas foi adiado faltando apenas 12 minutos porque um navio entrou em águas próximas à zona do lançamento no litoral de Cabo Canaveral (Flórida).

A Nasa contava com de duas horas e meia para o lançamento, entre as quais, segundo seus cálculos, haveria condições para a partida do foguete Delta IV com a cápsula Orion a bordo.

Pouco antes das 7h17 local (9h17, em Brasília), a seguinte hora prevista após o primeiro atraso, o centro de controle deteve o lançamento por conta do vento, que segundo os meteorologistas da agência espacial, nesse momento superava os protocolos de segurança da Nasa.

O vento de novo obrigou a adiar o lançamento até as 8h26 local (10h26, em Brasília) mas pouco antes do lançamento descobriram o problema no foguete.

A cápsula Orion partirá a bordo de um foguete Delta IV, da companhia United Launch Alliance (ULA), desde a plataforma 37 do complexo de lançamento espacial da base de Cabo Canaveral (Flórida).

A cápsula dará duas voltas na Terra a uma distância de 5 793 quilômetros, cerca de 15 vezes mais longe do que a distância para a Estação Espacial Internacional (ISS), em um percurso que durará cerca de quatro horas e servirá para analisar seus sistemas e em particular o escudo térmico que a protege.