Google inicia ambicioso estudo sobre o corpo humano

Google reúne cerca de 100 especialistas no Baseline Study, projeto que quer compreender como é o corpo de alguém saudável para melhorar o diagnóstico de doenças

São Paulo – O Google está coletando informações para tentar entender como funciona o corpo de uma pessoa com saúde. Com a pesquisa, a companhia quer tornar mais eficaz o diagnóstico do câncer e outras doenças.

Cerca de 100 especialistas de diversas áreas participam da iniciativa, batizada de Baseline Study. Na fase inicial do projeto, serão analisados os batimentos cardíacos, metabolismo e outros indicadores de 175 pessoas.

Para isso, ferramentas criadas pelo Google – como as lentes de contato que medem níveis de glicose – devem postas em ação. A esperança dos pesquisadores é identificar padrões em pessoas que desenvolvem determinados tipos de doença.

“Se nós queremos de fato resolver um problema, o que precisamos saber? Precisamos saber como a coisa é quando está ok”, afirmou em entrevista ao Wall Street Journal (WSJ) o biólogo molecular Andrew Conrad, um dos líderes do projeto. 

Privacidade

Uma das principais preocupações em relação ao Baseline Study é a questão da privacidade

Segundo os responsáveis pela iniciativa, os dados coletados ficarão sob responsabilidade das universidades de Duke e Stanford e não devem ser compartilhados com companhias de seguro – que poderiam se interesssar pelas informações.

Como o projeto não pretende resultar num produto ou serviço específico, o Google não divulgou prazos relacionados à iniciativa.

“Nós nos acostumamos a falar sobre a cura do câncer e pensar em fazer isso em poucos anos. Mas aprendemos a não dizer mais estas coisas”, afirmou ao WSJ Sam Gambhir, professor da universidade de Stanford envolvido no projeto.

Quem toca o Baseline Study dentro do Google é a Google X, braço da empresa dedicado ao desenvolvimento de ideias na área de ciência. Entre as criações recentes do grupo, estão produtos como o Google Glass e os carros sem motorista.