Fujifilm lança câmera digital que “vê” através de roupas

A X-T1 IR da empresa japonesa consegue capturar imagens em infravermelho. Isso significa que, em alguns tecidos, é possível ver através de vestimentas

São Paulo – A Fujifilm anunciou uma câmera fotográfica que pode revolucionar o conceito de “mandar nudes”. A empresa japonesa anunciou hoje a X-T1 IR, uma câmera que pode capturar imagens através de roupas.

Brincadeiras à parte, o dispositivo pode fotografar através de vestimentas devido à sua capacidade de capturar a luz infravermelha, que é invisível ao olho humano. Aliás, os seres humanos podem ver luzes que possuem comprimento de onda que vai de 390 nm (cor violeta) a 700 nm (cor vermelha).

Além desse limite de 700 nm, a luz entra na gama do infravermelho (entre 750 nm e 950 nm). Segundo a empresa japonesa, a X-T1 IR pode capturar a luz em comprimentos de onda de até 1.000 nm.

Um dos efeitos de capturar o espectro de luz infravermelho é que é possível ver através de roupas. O tecido, no entanto, precisa ser bastante fino para que isso aconteça.

As fotografias tiradas em infravermelho, por muitas vezes, parecem até falsas. Muitas pessoas têm essa sensação, pois as cores das imagens mudam de tom – um céu azul fica púrpura e um dia de sol parece cheio de neve.

Além disso, a pele dos seres humanos fica com um aspecto aveludado. Isso acontece, pois o infravermelho atravessa as primeiras camadas da epiderme e apaga qualquer marca.

Vale lembrar que a X-T1 IR não é a primeira câmera digital com infravermelho. A própria Fujifilm já lançou outras máquinas que tiram fotografias neste tipo de luz. Uma delas é a Finepix IS-1, que tem sensor de nove megapixels.

Fins profissionais

É claro que os objetivos da Fujifilm são muito mais nobres com a câmera. A empresa afirmou que ela foi desenvolvida para fins profissionais e poderá ajudar investigadores criminais, médicos e cientistas.

Ao capturar o espectro infravermelho, as câmeras poderiam ajudar a encontrar manchas de sangue, detectar lesões em tecidos profundos e até mesmo ver mensagens apagadas em documentos.

A câmera será equipada com um sensor de 16,3 megapixels e terá um LCD de 3 polegadas de alta resolução.

A imagem no início deste texto é a da câmera X-T1. A nova câmera será um aprimoramento do produto anterior, porém suas imagens ainda não foram divulgadas.

A empresa japonesa afirma que ela será muito similar à X-T1 e será vendida por 1.700 dólares, a partir de outubro. No Brasil, a versão sem infravermelho é vendida por 6 mil reais.