Físicos descobrem pista sobre Partícula de Deus

Os cientistas analisaram dados de 500 trilhões de colisões entre partículas subatômicas

São Paulo – Físicos americanos do Fermilab anunciaram que suas experiências sobre a Partícula de Deus ou Bóson de Higgs confirmam as feitas com o LHC, grande acelerador de partículas do CERN.

Os cientistas analisaram dados de 500 trilhões de colisões entre partículas subatômicas. A experiência tem como objetivo reproduzir as condições posteriores ao Big Bang, a cerca de 14 bilhões de anos atrás. Para isso, os físicos conseguiram produzir cerca de mil Partículas de Deus em mais de uma década de trabalho.

Mesmo assim, a imagem que o Fermilab tem dessas partículas, que rapidamente se transformam em outras, ainda é pouco conclusiva, segundo os físicos. Por isso, apesar de ser um bom indicativo, ainda não se trata de uma pista significativa para concluir a existência do Bóson de Higgs.

Isso porque existe a chance de os físicos terem se deparado com um caso estatístico, ao invés de terem detectado a partícula tão procurada e que, supostamente, prova a existência de um campo invisível que permeia todo o universo. De qualquer forma, o Fermilab acredita que este é um marco importante para os experimentos do Tevatron, além de demostrar a importância das medições independentes na busca pela compreensão dos elementos básicos da física.

O objetivo desses aceleradores é testar os limites do Modelo Padrão, teoria moderna que explica o funcionamento físico do Universo. Para isso, é preciso localizar a Partícula de Deus. Assim, seria possível explicar a origem da massa no Universo.

A descoberta do Fermilab foi feita com ajuda do acelerador Tevatron, de 6,3 km de comprimento, que foi desativado em setembro de 2011. Portanto, apesar das conclusões excitantes dos físicos do Fermilab, está nas mãos do CERN descobrir com o LHC a existência da Partícula de Deus.

Embora esteja prevista no modelo, essa partícula nunca foi identificada e é uma das grandes lacunas da física. Das 32 partículas fundamentais do Universo, como prótons, nêutrons e elétrons, o Bóson de Higgs é a única que ainda não foi detectada. Os cientistas acreditam estar cada vez mais próximos de encontra-la ou de descartar sua existência.

Enquanto o CERN não anuncia novidades sobre a partícula, o Fermilab continua analisando os dados obtidos em suas experiências com o Tetravon. Uma conclusão mais definitiva sobre o assunto deve ser apresentada pelo Fermilab em junho.