Físicos descobrem nova partícula elementar da matéria

Se confirmada, descoberta feita pelo LHC, o maior acelerador de partículas do mundo, vai ajudar no entendimento das forças que mantém o universo coeso

São Paulo – Físicos do LHC, o maior acelerador de partículas do mundo, acreditam ter encontrado uma nova partícula elementar da matéria. O estudo foi publicado nesta quinta-feira no repositório online arXiv e ainda aguarda revisão de outros cientistas. Caso seja confirmada, a partícula será a primeira descoberta pelo acelerador do CERN, o centro europeu de pesquisas nucleares, instalado na fronteira entre a França e a Suíça. Os dados foram registrados pelo Atlas, um dos maiores detectores do LHC.

O Grande Colisor de Hádrons (do inglês Large Hadron Collider, LHC) é o maior acelerador de partículas do mundo, com 27 quilômetros de circunferência. Ele pertence ao CERN, o centro europeu de pesquisas nucleares e está instalado na fronteira franco-suíça. Em seu interior, partículas são aceleradas até 99,9% da velocidade da luz. Os experimentos ajudam a responder questões sobre a criação do universo, a natureza da matéria e fenômenos exóticos observados no espaço.

A partícula, chamada Cb(3P), é uma nova forma de explicar como funciona a junção de um quark bottom e seu antiquark, ambas partículas fundamentais da matéria. Assim como o famoso Higgs, o Cb(3P) também é um bóson. Contudo, enquanto o Higgs não é feito de partículas menores, o Cb(3P) combina dois objetos pesados por meio da força nuclear forte, a mesma que mantém o núcleo dos átomos unidos.

O novo bóson já havia sido previsto por muitos teóricos, mas nunca observado em um experimento. Enquanto o bóson de Higgs dá massa para as partículas elementares da matéria, os cientistas ainda precisam entender como a massa se mantém coesa no nível fundamental das interações físicas. Isso significa entender a força e o papel de partículas como a Cb(3P). Para ser confirmada, a partícula deverá ser observada pelo CMS, outro detector do LHC que trabalha de forma independente ao Atlas.