Sem Plutão, Sistema Solar pode ter um novo planeta

Imagina-se que o gigante gasoso seja quase tão grande quando Netuno e orbita a bilhões de quilômetros de distância da órbita do oitavo planeta

Cabo Canaveral – Cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia disseram, nesta quarta-feira, que finalmente foram encontradas “boas evidências” para um nono planeta no nosso sistema solar.

Imagina-se que o gigante gasoso seja quase tão grande quando Netuno e orbita a bilhões de quilômetros de distância da órbita do oitavo planeta: longe o bastante para levar de 10 mil a 20 anos para dar uma volta completa em torno do sol.

O Planeta 9, como os pesquisadores o chamam, ainda não foi localizado. Eles basearam a descoberta em cálculos matemáticos e modelagem computadorizada, e anteciparam sua descoberta via telescópio, que deve acontecer dentro de cinco anos ou menos.

Os dois cientistas que encontraram as evidências divulgaram a pesquisa hoje, no Astronomical Journal, e querem que outras pessoas ajudem a localizar o novo corpo celeste.

“Podíamos ter ficado quietos e passado os próximos cinco anos procurando pelos céus por nós mesmos, esperando achar [o Planeta 9]. Mas eu gostaria que alguém encontrasse mais cedo”, disse Mike Brown.

“Eu quero vê-lo. Quero ver como ele se parece. Eu quero entender onde ele está, e eu acho que isso vai ajudar”.

Brown insiste que, uma vez detectado, deve haver um debate planetário ao estilo do de Plutão.

O astrônomo foi chamado de “assassino de Plutão”, quando ajudou a conduzir a acusação contra o “ex-planeta” que resultou no rebaixamento do seu status, em 2006, para planeta-anão.

Seu colega de pesquisa é o cientista planetário Konstantin Batygin. “Pela primeira vez em mais de 150 anos, existem boas evidências de que o censo planetário do sistema solar esteja incompleto”, disse Batygin, referindo-se a descoberta de Netuno, como planeta 8.

Ambos basearam sua previsão no fato de que seis objetos no gelado Cinturão de Kuiper, também conhecido como Zona do Crepúsculo – uma longínqua região do sistema solar – parecem ser influenciados por apenas uma coisa: um planeta verdadeiro.

Brown descobriu um dos seis objetos há mais de uma década: Sedna, um grande asteroide que orbita na fronteira do sistema solar.

“Isso é uma previsão, O que nós encontramos foi uma assinatura gravitacional do Planeta 9, escondido na periferia do sistema solar” disse Batygin.

Dependendo de onde o novo planeta esteja em sua órbita oval, um telescópio especial pode ser necessário para confirmar sua presença, disseram os pesquisadores.

Eles afirmaram que os telescópios disponíveis podem detectar o planeta, caso ele esteja relativamente próximo de nós em seu caminho em torno do sol. Estima-se que ele esteja de 32 bilhões a 160 bilhões de quilômetros de distância da Terra.