Dieta vegetariana pode causar desordens mentais

O status nutricional resultante da dieta vegetariana restrita pode afetar a função neuronal e a plasticidade sináptica

Durante as últimas décadas, há um maior conhecimento sobre os efeitos da dieta vegetariana no status nutricional e na saúde física. No geral, os estudos tem demonstrado que os vegetarianos encontram-se em boa saúde física comparados aos padrões nacionais e com uma boa saúde assim como os não vegetarianos com um estilo de vida similar.

O status nutricional resultante da dieta vegetariana restrita (sem nenhum tipo de carne) pode afetar a função neuronal e a plasticidade sináptica, o que pode influenciar em processos cerebrais relevantes para a manutenção de doenças mentais. Estudos tem reportado que os vegetarianos restritos apresentam menores concentrações nos tecidos de ômega-3 e vitamina B12 o que pode aumentar o risco para a depressão.

Além das diferenças no status nutricional, vegetarianos e não vegetarianos diferem em características psicológicas e sócio-demográficas que podem influenciar no risco de desordens mentais. Os vegetarianos são predominantemente mulheres vivendo em centros urbanos e solteiras, fatores relacionados com a presença de desordens mentais.

Além disso, os vegetarianos tendem a ser mais preocupados com os fatores que influenciam a sua dieta e com a importância da qualidade de vida no geral. Os pesquisadores ressaltam que a presença de desordens mentais (depressão, ansiedade e transtornos alimentares) nessa população ocorre na sua maioria nos veganos (vegetarianos restritos), os quais apresentram uma menor concentração principalmente de B12 e ômega-3 importantes para a saúde cerebral.

ReferênciasMICHALAK, J. et al. Vegetarian diet and mental disorders: results from a representative community survey, International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity, v.9, n. 67, 2012.Por Joyce Rouvier