Descoberta do código genético da batata permitirá criar novas variedades

A descoberta da composição do DNA do tubérculo abre as portas para a criação de novos tipos

Londres – A descoberta por um consórcio de cientistas internacional do código genético da batata abre caminho à criação de novas variedades do tubérculo mais nutritivo e resistente à doenças, publica neste domingo a revista “Nature”.

Os pesquisadores, reunidos no consórcio do sequenciamento do genoma da batata, identificaram que a planta, o terceiro alimento básico mais importante depois do trigo e do arroz, tem ao menos 39 mil genes, quase o dobro do que um ser humano.

A descoberta da composição do DNA do tubérculo abre as portas criação de novos tipos com propriedades concretas que poderiam ser cultivadas em áreas carentes de alimentos, sugerem os especialistas.

Eles admitem que a decodificação do código da batata não foi tarefa fácil, já que o genoma tem quatro cópias de cada um de seus 12 cromossomos – em contraste com as duas cópias do ser humano -, cada uma das quais pode apresentar variações em genes correspondentes.

Para o diretor da pesquisa britânica, Glenn Bryan, do Instituto James Hutton da Escócia, “o sequenciamento do genoma é um passo importante na compreensão da biologia da batata”, o que pode “acelerar a produção de novas variedades”, mediante a seleção de genes com particulares características que afetem a cor, a textura e o sabor.

Apesar da importância desta façanha científica, que poderia contribuir para solucionar os problemas da crise de fome nos países em vias de desenvolvimento, os analistas advertem que a análise da sequência genética da planta pode levar vários anos mais.

Atualmente, demora entre dez e 12 anos para produzir uma nova variedade de batata. Com o conhecimento adquirido agora os cientes acreditam que podem reduzir esse tempo.