Como em Avatar, macaco controla outro animal com o pensamento

Uma equipe de cientistas conseguiu fazer um macaco controlar os movimentos do braço de outro macaco apenas com o pensamento, como no filme Avatar

Uma equipe de cientistas conseguiu fazer um macaco controlar os movimentos do braço de outro macaco apenas com o pensamento, como no filme Avatar. A ideia é que, no futuro, a técnica possa fazer pessoas paralíticas terem o controle de seus corpos novamente.

A pesquisa foi publicada na revista científica Nature Communications. Apesar de o objetivo do estudo ser descobrir métodos de como usar a tecnologia para ajudar pessoas paralíticas, os cientistas se recusaram a provocar a paralisia de um macaco saudável.

Segundo os pesquisadores, essa seria uma atitude injustificável. Então, resolveram fazer o experimento com dois animais, sendo que um deles foi sedado para simular os efeitos da paralisia.

Os macacos foram chamados de mestre e avatar. Um chip foi implantado no cérebro do mestre para monitorar suas atividades cerebrais. Já avatar teve 36 eletrodos implantados em sua medula espinhal. Depois, os dois foram conectados um ao outro para que as leituras cerebrais de um gerassem movimentos no outro em tempo real.

As leituras do cérebro do mestre foram, então, usadas como guia para estimular eletricamente a medula espinhal do outro animal. O avatar segurava um controle que comandava um cursor em uma tela enquanto o mestre pensava em mover o cursor para cima e para baixo. Assim, mestre conseguiu comandar os movimentos do avatar em 98% dos testes.

A pesquisa tem grandes implicações, especialmente no controle de membros lesionados ou no controle de próteses de quem teve um membro amputado. Mas ainda existem desafios antes de atingir essa meta. Afinal, mover um cursor não se equipara à complexidade de um movimento como o de levar um copo até à boca, por exemplo.

Os pesquisadores esperam que o método seja aperfeiçoado para que pessoas paralíticas readquiram o controle de seus membros. A esperança dos cientistas é fazer com que esse aprimoramento torne possível um movimento totalmente natural no futuro.