Cinzas de astrônomo que descobriu Plutão estão a bordo da sonda New Horizons

As cinzas de Clyde Tombaugh, que descobriu Plutão em 1930, chegam no planeta anão na terça (14)

A sonda New Horizons entrou oficialmente na esfera de influência gravitacional de Plutão na semana passada e, nesta terça-feira (14), mais de nove anos depois de deixar a Terra, a espaçonave dará um rasante de 12 mil quilômetros de altitude sobre o planeta anão.

Os instrumentos a bordo irão capturar as imagens mais detalhadas já registradas de Plutão. Mas, ao lado dessas ferramentas, estará outro tipo de bagagem: as cinzas de Clyde Tombaugh, o astrônomo americano que descobriu Plutão no começo do século passado.

Tombaugh, que morreu em 1997, começou a trabalhar como fazendeiro, construindo seus próprios telescópios a partir de sucatas de equipamentos de agricultura. Aos 20 anos, entrou em contato com o observatório Lowell, no estado americano do Arizona, para descobrir se estava no caminho certo.

“Ele queria sugestões para construir telescópios melhores, então enviou alguns de seus desenhos de Marte e Júpiter”, disse Annette Tombaugh, filha do astrônomo, ao site da NASA. “Eles responderam dizendo que queriam contratá-lo.” O trabalho de Tombaugh no observatório permitiu que ele descobrisse Plutão, em 1930, além de centenas de asteroides.

Um pequeno recipiente contendo as cinzas de Tombaugh está preso no teto da New Horizons, com a inscrição: “Aqui dentro estão os restos do americano Clyde W. Tombaugh, descobridor de Plutão e da ‘terceira zona’ do sistema solar, filho de Adelle e Muron, marido de Patricia, pai de Annette e Alden, astrônomo, professor, piadista, e amigo: Clyde W. Tombaugh (1906-1997).”

Além das cinzas do astrônomo, também estão a bordo da New Horizons outras bagagens curiosas, como um CD com imagens da equipe que trabalhou na missão, um pedaço da SpaceShipOne (nave que completou o primeiro voo espacial privado em 2004) e um selo de 1991 do planeta anão, com a frase “Plutão: Ainda Não Explorado.”

“Acho que meu pai estaria emocionado com a New Horizons”, afirmou Annette Tombaugh à NASA. “Quando ele olhou para Plutão, aquilo era apenas um pontinho de luz… tenho certeza que iria significar muito para ele ver o planeta que ele descobriu melhor estudado, melhor entendido.”

Fonte: NASA