Cientistas romenos criam sangue artificial

Cientistas romenos criaram sangue artificial com uma proteína extraída de vermes marinhos. Os testes foram promissores em ratos

Um sangue artificial que pode ser usado em humanos, sem efeitos colaterais, parece ficção científica. Mas cientistas da Romênia provaram que isso é, sim, possível. A nova substância promete acabar com a escassez em bancos de sangue no futuro.

As informações são do Daily Mail. A pesquisa foi conduzida pelo professor Radu Silaghi-Dumitrescu, que criou com sua equipe de cientistas da Universidade de Babeş-Bolyai um sangue que contém água, sais e uma proteína conhecida como hemerythrin, que é extraída de vermes marinhos.

A substância foi testada com sucesso em ratos. A união desses componentes ajudou no transporte de oxigênio pelo organismo como o sangue. Esse foi o primeiro teste que deu certo. As experiências anteriores foram insatisfatórias porque o sangue artificial era composto de uma proteína que não funcionava bem como sangue.

Apesar do sucesso no último experimento, os testes com ratos prosseguirão até que os cientistas tenham certeza de que não há efeitos colaterais. A expectativa é que o sangue artificial comece a ser testado em voluntários humanos em até dois anos.

Se der certo, o sangue artificial ajudará a medicina a fazer grandes avanços. O principal deles será o fim da escassez de oferta de sangue. Além disso, poderá prevenir infecções causadas por doações. A oferta de sangue também ajudaria nos hospitais de países mais pobres, onde milhares de vidas são perdidas em hemorragias após o parto, por exemplo.

Segundo os pesquisadores, os componentes podem ajudar até na criação de sangue instantâneo. Seria uma espécie de sangue em pó fácil de ser transportado, que se transforma em sangue artificial quando a água é adicionada.