Cientistas instalam controle no sistema nervoso de baratas

A ideia da pesquisa é usar as baratas-ciborgue para encontrar pessoas soterradas embaixo de destroços

São Paulo – Pesquisadores da universidade Texas A&M, nos Estados Unidos, conseguiram instalar um sistema de controle remoto no sistema nervoso de uma barata.

 

O inseto costuma ser usado para testes de estimulação cerebral remota. Mas esses experimentos são feitos usando a antena do animal.

 

No experimento inédito, o sistema nervoso central da barata foi equipado com um micro controlador movido a bateria. Os pesquisadores descobriram que a estimulação do gânglio, um emaranhado de células nervosas no tórax do bicho, é mais efetiva para controlar o animal do que a antena.

 

A estimulação da antena faz com que a barata imagine que está diante de um obstáculo. A estimulação direta do sistema nervoso, ao contrário, é mais efetiva: os pesquisadores perceberam que conseguiam fazer a barata andar apenas utilizando a estimulação de um ou ambos os lados do emaranhado de nervos.

 

A equipe da Texas A&M chamou o experimento de “sistema híbrido robótico controlado remotamente”. 

A ideia da pesquisa é usar as baratas-ciborgue para encontrar pessoas soterradas embaixo de destroços. Equipados com micro câmeras, os pequenos insetos conseguiriam chegar onde sondas ou robôs são incapazes de alcançar.