Cientistas identificam genes de peixes que se adaptam às mudanças climáticas

Projeto é da Universidade James Cook, na Austrália

Cientistas identificaram pela primeira vez os genes que permitem a certas espécies de peixes se adaptarem ao aquecimento dos oceanos provocado pelas mudanças climáticas, indicou nesta terça-feira (21) a Universidade James Cook, em Queensland, no nordeste da Austrália.

Em comunicado, a instituição afirmou que, em um projeto conjunto com a Universidade King Abdullah, da Arábia Saudita, os pesquisadores analisaram várias gerações de peixe em uma experiência com corais em laboratório.

“Alguns peixes têm uma capacidade excepcional para se ajustar a maiores temperaturas da água em poucas gerações”, disse Heather Veilleux, do centro de pesquisa de corais (Coral Coe) da Universidade James Cook.

Com avançada tecnologia molecular, a equipe de pesquisadores identificou 53 genes envolvidos na aclimatação a longo prazo e através de várias gerações submetidas a altas temperaturas. Segundo os estudos, os genes e as moléculas encarregadas da produção de energia e das respostas do sistema imunológico são chaves para uma adaptação em um ambiente com temperaturas em elevação.

Veilleux revelou que a descoberta ajudará a entender melhor o processo de adaptação dos peixes, assim como identificar as espécies mais vulneráveis e mais tolerantes às mudanças no meio ambiente.

No nordeste da Austrália está a Grande Barreira de Corais, o maior recife do mundo, com infinitas espécies ameaçadas devido à poluição e ao aquecimento global.