Cientista chinês que diz ter editado genes de bebês está desaparecido

Físico foi visto pela última vez na conferência que deu em Hong Kong no dia 28

São Paulo – O cientista chinês He Jiankui, que ficou famoso mundialmente na última semana após ter anunciado o nascimento dos primeiros bebês com código genético alterado por ele, tem seu paradeiro desconhecido desde o dia 28 de novembro. A informação é de jornais locais na China.

As suspeitas são de que o físico de 34 anos esteja em prisão domiciliar enquanto o caso é investigado por autoridades científicas. O governo chinês já suspendeu a continuação de pesquisas na área de edição genética que estejam em curso nas universidades do país.

Ao site South China Morning Post, um porta-voz da Universidade de Ciência e Tecnologia do Sul da China negou que o pesquisador esteja preso. “Nenhuma informação está confirmada, apenas as que estão nos canais oficiais”, afirmou. “Nós não podemos responder a mais perguntas sobre o assunto agora, mas, se tivermos alguma informação, vamos atualizá-los”, completou o porta-voz.

A universidade é um dos órgãos que anunciaram a investigação das declarações bombásticas de He, que já é chamado de “Frankestein da China” pelos mais críticos às suas ações. O governo anunciou que irá punir os envolvidos ao fim das investigações, sem detalhar como isso será feito.