China conclui a mais longa missão espacial tripulada do país

Cápsula Shenzhu-11 retornou à Terra da mais longa viagem espacial tripulada promovida pela China

A nave chinesa Shenzhu-11, com dois astronautas a bordo, retornou nesta sexta-feira à Terra, após a mais longa missão espacial tripulada realizada pelo país asiático.

A Shenzu pousou às 14H07 locais (4H07 de Brasília) na Mongólia Interior, após uma missão de 33 dias, uma nova etapa do ambicioso programa de conquista espacial da China.

O diretor do programa de voos tripulados destacou o”êxito total” da missão em uma transmissão ao vivo na TV estatal, que no entanto não exibiu imagens da saída dos astronautas da nave.

Jing Haipeng e Chen Dong decolaram no dia 17 de outubro a bordo da Shenzhu-11 (“Nave divina-11”) com destino ao laboratório espacial Tiangong-2 (“Palácio celeste-2”), que está em órbita a 393 km de altura.

Durante o período que passaram no espaço, os dois cultivaram verduras, criaram bichos-da-seda e realizaram reparos, de acordo com a imprensa estatal.

As autoridades chinesas consideram a exploração espacial, coordenada pelo Estado-Maior das Forças Armadas, como um símbolo da nova potência do país. Pequim investiu centenas de milhões de dólares em seus programas espaciais para tentar alcançar a Europa e os Estados Unidos.

O gigante asiático, que enviou seu primeiro homem ao espaço em 2003, conseguiu manter sua missão tripulada anterior, a “Shenzhu-10”, por 15 dias em órbita ao redor da Terra em 2013.

Pequim deseja criar em 2022 sua própria estação espacial tripulada, quando a Estação Espacial Internacional (ISS) vai deixar de funcionar.