Chile terá 70% da infraestrutura astronômica mundial em 2020, diz Bachelet

A presidente chilena, Michelle Bachelet, afirmou que o projeto é muito esperado pela comunidade científica internacional e nacional, porque permitirá um avanço gigantesco às pesquisas em astronomia

A presidente chilena, Michelle Bachelet, disse nesta terça-feira (14) que em 2020 seu país terá 70% da infraestrutura astronômica mundial, após a cerimônia de colocação da pedra fundamental do telescópio Large Synoptic Survey Telescope (LSST), na comunidade de Vicuña, no norte de Chile.

Bachelet afirmou que o projeto é muito esperado pela comunidade científica internacional e nacional, porque permitirá um avanço gigantesco às pesquisas em astronomia. “Para dimensionar a magnitude da mudança, basta saber que durante seu primeiro mês de operação, a capacidade do LSST superará o que podem observar, de forma combinada, todos os telescópios anteriores”, assegurou a presidente.

O novo telescópio LSST, que será instalado na região da montanha Cerro Pachón, na comuna de Vicuña, 532 quilômetros ao norte de Santiago, será integrado à rede da Associação de Universidades para Pesquisa em Astronomia (AURA), que iniciou suas atividades no Chile em 1961, instalando o Observatório de Cerro Tololo, o primeiro grande observatório internacional do país.

O novo telescópio terá 8 metros de diâmetro, câmera digital capaz de captar imagens de 3 trilhões de pixels, capacidade para explorar semanalmente o céu, identificar supernovas e asteroides próximos à Terra e mapear o cosmos em 3D. “O salto tecnológico será revolucionário. A informação captada por este telescópio abrirá, sem dúvida, novos campos de pesquisa, novas perguntas que serão respondidas pelos cientistas de todo o mundo durante anos”, acrescentou a presidente chilena.

Além disso, Bachelet destacou o trabalho da AURA, que com o tempo, disse, foi se somando a outros projetos, cada vez mais modernos, o que deu ao Chile sua posição de liderança. “Estima-se que em 2020 nosso país concentrará 70% da infraestrutura astronômica mundial e terá os telescópios mais poderosos instalados, com um investimento próximo aos US$ 6 bihões”, assegurou Bachelet.

A presidente ressaltou a importância do desenvolvimento das ciências e tecnologias para contribuir com a comunidade científica e o crescimento de seu país, de 17 milhões de habitantes.

“Depende de nós que sejamos capazes de tirar todo o proveito possível de um projeto da riqueza do LSST, e que o ponhamos a serviço de um desenvolvimento entendido em um sentido amplo: harmonioso, que respeite o meio ambiente e que seja construído a partir do conhecimento e da abertura”, especificou Bachelet.