CERN qualifica como “histórica” a descoberta de uma nova partícula

Com os resultados apresentados hoje, é praticamente um fato que a partícula anunciada corresponde a conhecida Bosón de Higgs, chave para entender a formação do Universo

Genebra – O diretor-geral do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN), Rolf Heuer, qualificou nesta quarta-feira de avanço ‘histórico’ a descoberta de uma nova partícula consistente com o Bosón de Higgs, chave para entender a formação do Universo, mas alertou que ainda resta muito trabalho a ser feito.

“Temos uma descoberta”, disse Heuer ao término da conferência científica na qual foram apresentados os resultados dos experimentos Atlas e CMS, que buscam há anos, de maneira paralela, mas independente, provas da existência da chamada ‘partícula de Deus’.

Com os resultados apresentados hoje, é praticamente um fato que a partícula anunciada corresponde à descrita por Peter Higgs na década de 1960, sobre a qual repousa o modelo padrão da Física de Partículas.

“Temos de nos sentir orgulhosos e felizes”, comentou Heuer, para em seguida destacar que ‘isso é um início’ e que ‘há muito trabalho pela frente’ para os experimentos CMS e Atlas.

Presente na sala, Higgs felicitou a equipe do CERN “por essa tremenda conquista” e se mostrou emocionado por poder ser testemunha, já com 83 anos, deste momento.