Campo magnético de Mercúrio foi gerado há 4 bilhões de anos, mostra estudo

Os dados foram obtidos pela sonda Messenger, que se chocou contra a superfície do planeta em abril

Novos resultados da agora extinta nave espacial Messenger, da Nasa, mostraram que o campo magnético de Mercúrio foi ativado há cerca de 4 bilhões de anos, disseram cientistas nesta quinta-feira (7). A Messenger passou quatro anos na órbita do planeta antes de ficar sem combustível e cair na superfície em 30 de abril.

Durante vários meses antes disso, porém, ela voou cada vez mais perto do solo, transmitindo imagens e detalhes sem precedentes sobre o planeta mais próximo do sol.

Foi durante vários desses voos de baixa altitude que a Messenger detectou vestígios de magnetização em uma parte antiga da crosta do planeta, indicadores de um campo magnético global, mostrou um estudo publicado na edição desta semana da revista Science.

O campo pode ter sido 100 vezes mais poderoso do que o que Mercúrio tem hoje, disse a pesquisadora Catherine Johnson, da Universidade de British Columbia, em Vancouver.

Mais dados e análises são necessários para determinar se o campo magnético de Mercúrio operou continuamente nos últimos 4 bilhões de anos, ou se foi desligado e depois reiniciado em algum momento, acrescentou.