Bebida do tipo zero traz mesmo risco de diabetes que a normal

Consumir apenas 400 ml de bebidas adoçadas com açúcar ou artificialmente (as diet ou zero) por dia traz o dobro de riscos de diabetes para quem as consome

São Paulo – Consumir menos de meio litro de bebidas açucaradas por dia é o suficiente para dobrar o risco de se desenvolver diabetes, mostra um estudo publicado pela European Society of Endocrinology. E, ao contrário do que pode parecer, quem opta pelas versões diet ou zero não sai ileso a esse risco.

Os resultados foram obtidos após a análise dos hábitos alimentares de mais de 2.800 pessoas.  A pesquisa mostra que a ingestão diária de 400 ml de produtos como refrigerantes ou néctares (refresco que não é composto exclusivamente por suco integral) aumenta em duas vezes o risco de diabetes.

As versões adoçadas artificialmente, conhecidas como zero ou diet, apresentaram resultados semelhantes às convencionais. Segundo o estudo, tal relação pode ser explicada, entre outros fatores, por um efeito estimulante ao apetite provocado por elas.

Além da diabetes tipo 2, a pesquisa analisou também uma variedade mais rara da doença, a LADA – que é autoimune, assim como a tipo 1, e geralmente ocorre em adultos. Nos dois casos, constatou-se o risco em dobro como consequência do consumo de duas doses diárias, cada uma de 200 ml.

Também foi analisado o consumo de mais de um litro das bebidas por dia; nesse caso, o risco de desenvolver a diabetes tipo 2 chegou a ser dez vezes maior do que entre os que não consomem nenhuma quantidade. Por conta da baixa frequência com que esse hábito foi relatado, o estudo destaca que esse resultado é menos expressivo.

A relação da diabetes tipo 2 com as bebidas açucaradas já tem sido evidenciada em pesquisas anteriores. Os riscos em relação à LADA, por outro lado, não são tão evidentes e foram o principal foco do estudo.

Segundo os pesquisadores, ainda são necessárias novas pesquisas para investigar a relação das bebidas com a LADA e, também, para esclarecer os efeitos das bebidas adoçadas artificialmente.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Tiago Della Coletta

    Isso é a pura teoria da conspiração,mentira total,sou diabético faz 18 anos,se o produto zero açúcar tivesse açúcar,primeiro que em todos os testes que faço 3 vezes ao dia,iria ter uma alteração absurda na minha glicemia,é isso não acontece,se eu tomo produto como coca sem ser zero,minha glicemia aumenta absurdamente
    Por isso não acredito nessa matéria

  2. Priscila Yoshimi Niskava

    Olá Tiago, pelo que entendi da matéria não é que as bebidas zero tenham açúcar, é que elas poderiam aumentar o apetite e daí sim levar ao diabetes tipo 2. ( Depende do que comer…) Então, para quem ainda não é portador da doença seria um risco. Mas o título da matéria dá a entender isso mesmo rsrs. ” Pra chamar a atenção dos leitores”

  3. Willian Rastelli

    Faltou o editor colocar qual seria o mecanismo que levou ao aumento do risco no grupo que ingeriu a bebida com adoçantes artificiais, apenas mostrou os resultados ficando vago qual seria a relação entre a bebida e o aumento do risco .

  4. Eudes Júnior

    Zero açúcar do tipo natural (sacarose, frutose) os açúcares usado nesses produtos ditos zeros são açúcares sintéticos, os chamados educorantes, que trás inúmeros malefícios a saúde, muito mais do que os açúcares naturais.

  5. José Mauricio Gonzales Praxedes

    Eudes Júnior , seu raciocínio está completamente incorreto . edulcorantes artificiais são seguros , por que tem um poder de dulçor centenas de vezes maior do que o da sacarose e frutose , e por isso , são usados em quantidades mínimas . não existem estudos que mostram perigos de edulcorantes nas quantidades que são consumidas diariamente pelas pessoas .

  6. José Mauricio Gonzales Praxedes

    Para quem segue um padrão alimentar Paleo ou Low Carb (Atkins) não seria um risco , por que , mesmo com o aumento de apetite , isso faria pouca diferença . já pros comedores de arroz e feijão e pães , isso poderia sim , significar risco …