Astrônomos observam violento nascimento de estrela

São Paulo – Um grupo de astrônomos conseguiu analisar detalhes do material celeste que se afasta de uma estrela recém-nascida. Ao observar o brilho emitido pelas...

São Paulo – Um grupo de astrônomos conseguiu analisar detalhes do material celeste que se afasta de uma estrela recém-nascida. Ao observar o brilho emitido pelas moléculas de monóxido de carbono do objeto, os cientistas descobriram um jato até então desconhecido.

Estrelas jovens são objetos violentos que ejetam matéria em velocidades muito elevadas, que se aproximam de um milhão de quilômetros por hora. Quando este material se choca com o gás circundante, cria um objeto brilhante. Um exemplo deste tipo de objeto é o Herbig-Haro 46/47, situado a cerca de 1400 anos-luz de distância da Terra, na constelação austral da Vela.

O radiotelescópio Alma, do Observatório Europeu do Sul (ESO) observou esse objeto. As novas imagens revelam detalhes de dois jatos, sendo um deles até então desconhecido. O mais famoso se desloca na direção da Terra. O outro segue na direção contrária. Os cientistas não o conheciam até agora porque as nuvens de poeira que rodeiam a estrela recém-nascida tornavam esse jato praticamente invisível em imagens ópticas anteriores.  

As moléculas de carbono do objeto ajudaram os cientistas a medir a velocidade à qual o material brilhante se deslocar no espaço. Foi assim que os pesquisadores descobrir que os dois jatos são mais energéticos do que o imaginado. O gás ejetado transporta muito mais energia e quantidade de movimento do que o imaginado.

O coautor da pesquisa Diego Mardones, da Universidade do Chile, acredita que este sistema é similar à maioria das estrelas isoladas de pequena massa durante sua formação e nascimento. Mas a direção oposto dos dois jatos torna o sistema excelente para estudar o impacto dos ventos estelares na nuvem “mãe” a partir da qual a estrela jovem se formou.