Astrônomos descobrem o planeta rochoso que está mais próximo de nosso sistema solar

Apesar de não ter vida, o HD 219134b pode ser uma chance para entendermos a formação dos planetas e sistemas solares

Astrônomos anunciaram a descoberta do planeta rochoso mais próximo do sistema solar já encontrado. Conhecido como HD 219134b, o planeta orbita uma estrela que está a “apenas” 21 anos luz distante da Terra, sendo classificado pela Nasa como “uma potencial mina de ouro para dados científicos.”

Encontrado pelo telescópio Spitzer, o novo planeta provavelmente não deve abrigar vida, pelo menos na forma como a conhecemos. Ele é 1,6 vezes maior do que a Terra e possui quase quatro vezes mais massa. Além disso, sua órbita de três dias está próxima demais de sua estrela hospedeira para que exista água na forma líquida.

Conhecidos como super-Terras, planetas como esse estão por todos os cantos da galáxia, mas a ciência ainda não sabe muito sobre eles. O HD 219134b pode ser uma chance para os astrônomos entenderem melhor a formação dos planetas e sistemas solares em geral.

A descoberta, anunciada na quinta-feira (30), acontece uma semana depois de a Nasa anunciar ter encontrado o exoplaneta apelidado pelos astrônomos como “Terra 2.0”. O Kepler-452b foi descoberto por outro telescópio da Nasa, o Kepler, e é muito mais parecido com a Terra do que o HD 219134b, já que tem uma órbita de pouco mais de um ano e está na zona habitável de sua estrela hospedeira.

Mas o HD 219134b está muito mais perto da Terra do que o Kepler-452b, que está a 1 400 anos luz de distância de nós. “Ele pode ser considerado a Pedra de Roseta para o estudo das super-Terras”, afirma Michael Gillon, cientista-chefe do telescópio Spitzer. Descoberta por franceses em 1799, a Pedra de Roseta é considerada o fragmento essencial para a compreensão moderna dos hieróglifos do Egito Antigo.

A partir de agora, os cientistas irão direcionar telescópios em terra e no espaço para o HD 219134b, para conseguir mais informações sobre ele. O planeta também poderá ser estudado com mais detalhes pelo Telescópio Espacial James Webb, que será lançado em 2018. Segundo Michael Werner, projetista da missão, o HD 219134b “será um dos exoplanetas mais estudados nas próximas décadas.”

Os astrônomos também descobriram que existem outros três planetas no mesmo sistema solar onde está o HD 219134b. Dois deles são muito menores e têm órbitas próximas da estrela hospedeira. O quarto planeta no sistema é gigantesco, com 62 vezes a massa da Terra, e demora 1 190 dias para completar sua translação.

Fonte: Nasa