Astronautas concluem primeira etapa para consertar falha na ISS

Os americanos Rick Mastracchio, 53, e Mike Hopkins, 44, retornaram à câmara de despressurização da ISS após a caminhada, que durou 5 horas e 29 minutos

Dois astronautas concluíram com sucesso, às 17H29 GMT deste sábado, a primeira caminhada espacial para consertar um dos dois circuitos de refrigeração da Estação Espacial Internacional (ISS), concluindo a tarefa antes do previsto, informou a Nasa.

Os americanos Rick Mastracchio, 53, e Mike Hopkins, 44, retornaram à câmara de despressurização da ISS após a caminhada, que durou 5 horas e 29 minutos, e foi a primeira das três previstas pela agência espacial.

“Foi um trabalho excelente e muito rápido”, comentou um dos supervisores no centro de controle em Houston, Estados Unidos, quando os dois astronautas conseguiram desconectar os quatro tubos da bomba de amoníaco defeituosa, além das conexões elétricas, uma hora e meia antes do previsto.

As equipes em terra pediram aos astronautas que adiantassem, então, parte dos trabalhos previstos para a segunda caminhada, prevista para segunda-feira.

Assim, Mastracchio e Hopkins já começaram a remover a bomba de amoníaco defeituosa, do tamanho de um refrigerador, que havia sido substituída em 2010 e permite manter a ISS em uma temperatura adequada.

Uma eventual terceira saída, prevista para o dia de Natal, é, agora, menos provável, uma vez que os astronautas podem terminar de instalar a nova bomba já na segunda-feira.

O japonês Koichi Wakata ajudou os astronautas manipulando, de dentro da estação, um braço robótico de 15 metros.

Quarenta e seis horas no espaço

Desde que o problema foi detectado pela primeira vez, em 11 de dezembro, a climatização da estação espacial depende de um segundo circuito de refrigeração.

A Nasa decidiu fazer o conserto o quanto antes, porque, caso houvesse uma falha no segundo sistema, a ISS ficaria em uma situação perigosa, que poderia requerer a retirada de sua tripulação.

A falha, no entanto, nunca pôs em risco os seis tripulantes, afirmou a agência espacial americana.

Os responsáveis pela ISS confiam no bom funcionamento do capacete que Hopkins usará. Ele apresentou um vazamento misterioso de água durante uma caminhada espacial realizada em 16 de julho pelo astronauta italiano Luca Parmitano, o que levou ao seu retorno às pressas à ISS.

A diretora de voo da estação espacial, Dina Contella, reconheceu que a Nasa ainda não identificou a origem do problema. Como precaução, a agência incluiu nos capacetes uma almofada absorvente extra.

Os astronautas da ISS também criaram um sistema próprio: um tubo de plástico que lhes permite respirar pela boca caso o capacete se encha de água.

A decisão da Nasa de realizar estas caminhadas de emergência levou ao adiamento, para o começo de 2014, do lançamento da cápsula não-tripulada Cygnus, da empresa Orbital Science, que deveria ter realizado sua primeira missão de abastecimento da ISS no último dia 19.

Com a caminhada de hoje, já são 113 os astronautas de nove países que saíram da ISS até o espaço, onde, no total, passaram 1.100 horas, ou 46 dias.

Mastracchio, que soma sete saídas da plataforma orbital, já passou 46 horas no espaço, enquanto esta foi a primeira caminhada de Hopkins.