5G começará a funcionar na América Latina em meados de 2020

Segundo associação que representa as principais operadoras de telefonia celular, operação do 5G começará na América Latina apenas "um ano depois" da Europa

Barcelona – O principal responsável da GSMA – a associação que representa as principais operadoras de telefonia celular do mundo – na América Latina, Sebastián Cabello, acredita que a operação do sistema 5G, a quinta geração da tecnologia de telefonia móvel, começará na América Latina “em meados de 2020”, apenas “um ano depois” da Europa.

Em declarações à Agência Efe, Cabello ressaltou que esta tecnologia chegará à América Latina mais rápido do que aconteceu com o 2G e o 3G, por exemplo.

A GSMA apresentou nesta terça-feira um relatório sobre o estado da Economia da Telefonia Móvel na América Latina e no Caribe em 2017.

O relatório, divulgado por ocasião da realização do Congresso Mundial de Telefonia Móvel em Barcelona, afirma que, embora as operadoras tenham atualmente como prioridade o desenvolvimento do 4G na América Latina, a cobertura 5G crescerá com velocidade na região “a partir de meados de 2020”.

De fato, a GSMA estima que a cobertura 5G chegará a aproximadamente 50% no ano de 2025, quando o total de conexões 5G será superior a 50 milhões na América Latina.

Em entrevista coletiva, Cabello garantiu que a demora da região em adotar o 5G em comparação com a Europa é “bastante razoável”, pois a América Latina terá que lidar com menos problemas que costumam surgir durante a introdução de uma nova tecnologia.

Contudo, os responsáveis da GSMA na região não quiseram especular sobre que país que poderá introduzir primeiro a tecnologia 5G, mas lembraram que o Chile foi pioneiro com o 2G e o 3G.

De fato, os responsáveis da GSMA assinalaram que o padrão da tecnologia 5G será definido no mês de junho.

Por outro lado, a GSMA anunciou hoje que prevê que a taxa de adesão aos telefones inteligentes será de 71% na América Latina no ano de 2020, em comparação com os 65% atuais.

Desde o princípio de 2016, 85 milhões de telefones inteligentes foram incorporados na América Latina, graças ao empurrão de países como México e Brasil, onde o índice de adesão aos ‘smartphones’ já chega a 72%.

Para 2020, a GSMA acredita que serão 171 milhões de novos usuários de telefones inteligentes na América Latina, de modo que a região terá uma taxa de adoção de 71%, acima da média global.

Por outro lado, a GSMA considera que o investimento total das operadoras na América Latina alcançará US$ 70 bilhões até 2020 para ampliar a cobertura 4G para quase 90% da população desses países.