5 fatos sobre a forte tempestade solar que atinge a Terra

A Terra está sendo atingida pela mais violenta tempestade solar dos últimos cinco anos, que pode prejudicar as comunicações e a navegação por GPS

São Paulo — Chegou à Terra, nesta madrugada, a mais forte tempestade solar dos últimos cinco anos. A tempestade – uma nuvem de radiação que viaja pelo espaço em altíssima velocidade – tem sua origem no despreendimento de parte da massa coronal do Sol que ocorreu há alguns dias. Os efeitos da radiação na atmosfera são visíveis nas regiões polares, ondem ela produz auroras boreais e austrais espetaculares. Veja outros detalhes sobre o fenômeno.

1 Intensidade

A tempestade solar desta semana é classificada no nível S3 na escala usada pelos astrofísicos para indicar a intensidade desses fenômenos, que vai de S1 a S5. Esse nível é descrito como “forte” pela Administração Nacional dos Oceanos e da Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA). Acima dele, ainda existem os níveis “severo” e “extremo”. Tempestades de nível superior a S3 são raras. Uma de nível S5 seria catastrófica e poderia causar grandes prejuízos econômicos.

2 Riscos à saúde

Segundo a NOAA, a radiação pode trazer riscos à saúde apenas no caso de astronautas e de pessoas a bordo de aviões voando a grande altitude sobre as regiões polares. Em função disso, voos que atravessam as regiões polares estão sendo desviados para rotas de menor latitude nesta semana. Não há risco para quem está no chão ou voando em regiões tropicais.

3 Satélites

Uma tempestade solar extrema, de nível S5, seria capaz de tornar satélites de comunicações totalmente inoperantes. Mas não é o caso do fenômeno que acontece nesta semana, de nível S3, que tem efeitos bem menos desastrosos. Mesmo assim, ele pode provocar falhas ocasionais nos satélites de comunicação e GPS.


A interferência da radiação nos sinais do sistema GPS pode reduzir sua precisão temporariamente. Além disso, os painéis solares usados para gerar eletricidade nos satélites devem ter leve perda de eficiência por causa da radiação. Satélites de sensoriamento também são afetados, já que os sensores de imagem tendem a captar ruído, o que degrada a qualidade dos registros obtidos por eles.

4 Rádio

A radiação solar prejudica as comunicações por rádio na faixa de alta frequência (HF – de 3 a 30 MHz), que é usada por navios, aviões e emissoras de rádio de ondas curtas. As falhas acontecem principalmente nas regiões polares. Mas não há previsão de grandes blecautes na comunicação por rádio nesta semana.

5 Novas tempestades

O sol está se aproximando de um período de atividade intensa, algo que acontece a cada 11 anos aproximadamente. Segundo a NASA, o auge desse período deve ser no segundo semestre de 2013. Isso significa que novas tempestades vêm aí. E os cientistas não descartam a possibilidade de uma tempestade extrema acontecer.