William Waack é afastado pela Globo após comentário racista

Segundo a emissora, a suspensão do apresentador será mantida "até que a situação seja esclarecida"

São Paulo — O apresentador do Jornal da Globo, William Waack, foi afastado pela TV Globo nesta quarta-feira, 08, após um vídeo em que o jornalista faz comentários racistas viralizar na internet. Segundo a emissora, a suspensão será mantida “até que a situação seja esclarecida”.

No vídeo, momentos antes de ir ao ar para a cobertura das eleições norte-americanas de 2016, Waack se mostra incomodado com o som de buzinas que começam a ser ouvidas da rua: “Tá buzinando por quê, seu merda do cacete? Não vou nem falar porque eu sei quem é”, ele diz. Logo depois, olhando para o entrevistado, ele fala em voz baixa: “É preto. É coisa de preto.”

Em nota, a Globo diz que “é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações. Nenhuma circunstância pode servir de atenuante”.  A emissora diz ainda que, a partir de amanhã, iniciará conversas com o apresentador para decidir  os próximos passos.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sonia Cristina

    Se ele tivesse dito que se tratava de um playboyzinho branquelo, não teria acontecido nada e ainda seria ovacionado. Não é justo que toda uma vida profissional brilhante seja jogada pelo ralo, apenas por um comentário infeliz. MAIS TOLERÂNCIA E MENOS POLÍTICA SEPARATISTA.

    1. Ademir Souza

      Positivo

  2. Bernardo Biesseck

    Sonia Cristina, você se esquece que nenhum “playboyzinho branquelo” foi escravizado e marginalizado durante séculos no Brasil. É estupidez comparar termos racistas contra brancos e negros analisando apenas as palavras. Nenhum negro vivo hoje esteve sob o regime de escravidão e nenhum branco vivo hoje foi dono de escravos, mas TODOS NÓS vivemos as consequências deste triste período da história do Brasil. Um povo que não conhece sua história está fadado a repetí-la.

    1. Ademir Souza

      Bernardo, nada com coisa nenhuma hein…. Fala verdade.

    2. Ademir Souza

      Bernardo, nada com coisa nenhuma hein…. Fala verdade.