Nesta modalidade vão surgir 100 mil vagas (mas há preconceito)

Oportunidades temporárias são destaque. Veja quem mais contrata e como conseguir a vaga

São Paulo – Em meio ao mau humor do mercado de trabalho, um estímulo para quem busca emprego são as seleções para oportunidades temporárias que já começaram. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Temporários a expectativa é de 100 mil novas oportunidades em todo país.

“As vagas surgem basicamente na área de varejo, em toda parte de atendimento, e em algumas indústrias que fornecem para o varejo como, por exemplo, as indústrias de refrigerantes que atendem supermercados, que também estão contratando”, diz a diretora de recursos humanos e marketing da Manpower, Márcia Almström. A consultoria está selecionando para mais de 6 mil vagas temporárias, neste momento. Interessados devem fazer o cadastro no site, onde também já é possível se candidatar para as vagas.

“As empresas começaram a contratar consultorias de recrutamento no fim de outubro prevendo começar as contratações no fim de novembro. Três delas que atendemos na Manpower já anteciparam”, diz Márcia. Isso é um bom sinalizador da reação econômica e de mais otimismo no volume de consumo, afirma. Mutirões de renegociação de dívidas também devem dar fôlego para o consumo de Natal.

A C&Aé um exemplo de varejista que já está recrutando e contratando. Serão mais 600 profissionais para reforçar sua equipe nas lojas do estado de São Paulo e já recebe inscrições no seu site.

Com muita gente disponível no mercado, as seleções serão disputadas ainda que muita gente tenha preconceito em relação ao trabalho temporário.

O receio, segundo Márcia, é justamente pela temporalidade do trabalho, mas ela garante que existem sim chances reais de contratação. “Tenho clientes que pegam essa época do ano para trazer os temporários e avaliá-los para fazer uma oxigenação na empresa”, diz.

A efetivação vai depender do momento da empresa e também do desempenho do profissional, é claro. “A companhia, muitas vezes, espera essa época porque é muito melhor fazer uma troca quando já teve a experiência com o funcionário, já sabe como ele reage sob pressão, como lida com grande volume de trabalho”, diz Márcia.

Como conquistar a vaga

Pecar na preparação para a entrevista pode significar a perda da oportunidade, segundo Luciana Ferreira, presidente do grupo Elemento RH.

Por mais básico que pareça, há candidatos que não pesquisam sobre o setor de atuação e a empresa antes de encarar um recrutador. “Procure saber sobre produtos ou serviços oferecidos, diferenciais, missão, valores e principais clientes”, indica Luciana.

Vão certamente se destacar, de acordo com a presidente do Grupo Elemento RH, aqueles que, além da “lição de casa”, souberem demonstrar por que podem contribuir com a empresa. “Avalie quais são os seus pontos fortes e como eles podem ajudar no dia a dia de trabalho”, diz Luciana.

“Usualmente as empresas esperam encontrar pessoas que tenham algum conhecimento naquela atividade, isso é importante. Contudo, se a pessoa tiver algumas características de atendimento ao público, iniciativa e dinamismo já se destaca bastante”, diz Márcia.

Para se ter uma ideia, disposição para aprender, o dinamismo e gostar de trabalhar com o público são os requisitos comportamentais que a C&A vai medir durante seu processo seletivo.

“Cada vez mais o comportamento e questões de atitude aparecem. Um dos clientes varejistas da Manpower nos pediu que buscássemos pessoas que sejam mais voltadas para o cliente. Eles não querem mais pessoas tão preocupadas em organizar a roupas na loja”, diz Márcia.

Mas não vale colocar essas qualidades comportamentais no currículo, segundo Luciana, da Elemento RH. “Deixe para demonstrá-las durante a entrevista”, diz.