Três casos de concordância que muita gente erra em português

Professor Diogo Arrais cita casos de concordância em que equívocos se multiplicam

São Paulo – Concordância remete a acordo, harmonia. Gramaticalmente, refere-se ao processo linguístico em que ocorre a flexão de pessoa, gênero e número entre termos relacionados.

Repare a sentença abaixo:

“É necessário a tua presença aqui.”

Havendo a determinação do sujeito, a concordância deve ser efetuada. Portanto, a estrutura precisa ser adaptada ao padrão da Língua:

“É necessária a tua presença aqui.”
“É proibida a nomeação neste Gabinete.”

Sem essa citada determinação, prevalece o masculino singular:

“É proibido nomeação neste Gabinete.”

ANEXO, INCLUSO

Como adjetivos, concordam com o substantivo em gênero e número. Esses termos merecem atenção especial nos e-mails corporativos:

“Vão anexos os pareceres dos advogados.”
“Envio-lhe, anexas, duas cópias do contrato.”
“Envio-lhe, inclusa, uma cópia do contrato.”

BASTANTE PODE SIM VARIAR

Outro caso curioso é a possibilidade de variação do termo “bastante”, quando for um adjetivo, sinônimo de “suficientes”:

“Não havia provas bastantes para condenar o réu.”

Sendo pronome indefinido, “bastantes” será sinônimo de “muitos”:

“Existem bastantes processos neste escritório.”

Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

DIOGO ARRAIS
http://www.ARRAISCURSOS.com.br
YouTube: MesmaLíngua
Autor Gramatical pela Editora Saraiva
Professor de Língua Portuguesa
Fundador do ARRAIS CURSOS