Tábua ou táboa? Tire essa e outras dúvidas de ortografia

Online ou on-line? Professor Diogo Arrais fala sobre ortografia na sua coluna semanal

Atire a primeira pedra quem nunca teve dúvida ortográfica. É “tábua” ou “táboa”? É “tabuada” ou “taboada”?

Tábua provém do latim tabula e equivale a uma peça de madeira, quadro, lousa, em que foram impressas as primeiras leis da humanidade. Dessa forma latina, surgiram “tabuada” e “tabuleta”, com o uso lógico da letra “u”.

 De tabula, surgiu a forma francesa tablette: um produto alimentar ou medicamento solidificado, que se apresenta sob a forma de placa, geralmente retangular. Com o aportuguesamento, registra-se o paroxítono “tablete”.

Já a forma inglesa tablet (diminutiva de table e originária também de tabula) aplica-se a uma espécie de computador fino e pequeno semelhante à lousa em que os romanos escreviam com estilo. Aqui no Brasil, inúmeras expressões da Informática são herdadas do Inglês, como é o caso de “mouse”, “download”, “upload”, “link”, “hyperlink”, “touch screen” e “tablet”.

Uma curiosidade: quando se faz um “download”, com a origem em down(line) – linha abaixo – e load – ato de carregar -, usamos a forma verbal portuguesa “baixar”.

Dezenas dessas estrangeiras já estão tanto no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa quanto nos principais dicionários, como as famosas “on-line” e “off-line”. Aqui fica um lembrete:  em acordo ao padrão, devem sim fazer o uso de hífen.

Sobre a hifenização em termos ingleses, estranha-me a falta de lógica nos registros oficiais: por que “on-line”, “off-line”,  “off-the-records”, “off-off-Broadway (versão radical do teatro off-Broadway) hifenizados, mas “offset” e “offside” sem o tal sinalzinho?

A verdade é que – nem mesmo diante dos termos portugueses – o hífen assume um caminho lógico. É uma pena, pois isso dificulta a vida de qualquer escritor, estudante, pesquisador, usuário, admirador do nosso idioma.

 Um grande abraço, até a próxima e siga-me pelo Twitter!

                        Diogo Arrais

@diogoarrais

Professor de Língua Portuguesa – CPJUR

Autor Gramatical pela Editora Saraiva