Supervisores, gerentes e diretores mais requisitados ganham até R$ 80 mil

Pesquisa da consultoria Michael Page aponta os cargos mais procurados em posições de média e alta gerência no Brasil. Veja lista completa

São Paulo – Roberto Picino, diretor-executivo da Michael Page, uma das maiores consultorias de recrutamento atuantes no Brasil, diz que o incremento no número de contratações realizadas na base de dados da empresa foi 20% maior no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2018.

“As empresas enxugaram seus quadros até o limite e, para que não andem para trás, estão sentindo a necessidade de voltar a contratar”, diz o executivo.

O ritmo ainda é lento e o movimento é tímido. A exigência e a cautela andam norteiam processos de seleção e apenas alguns setores estão apresentando oportunidades.

“Tecnologia da informação, digital, vendas consultivas, planejamento tributário são as áreas com mais vagas”, diz Picino. Em relação aos setores mais promissores em 2018 ele cita: energia, varejo, saúde e educação. “ Fundos investiram em empresas do setor”, afirma.
Incremento no quadro ou lenta reposição de cadeiras que foram se esvaziando durante os piores períodos de crise? Picino fica com a segunda alternativa.

“Numericamente o que temos visto são reposições”, diz ele, lembrando que muitas funções antes desempenhadas por dois ou três profissões foram aglutinadas em uma só pessoa. Por isso, há cargos que estão exigindo novas competências e mudanças no perfil mais adequado.
Negociações acerca do pacote de remuneração estão mais justas e as decisões colegiadas. Mas o diretor da Michael Page não enxerga que haja queda nos salários médios oferecidos.

A seguir confira, 17 cadeiras de gestão que estão liderando a demanda executiva, de acordo com números oferecidos pela Michael Page:

Supervisor de TI

O que faz: garante os bom funcionamento dos equipamentos e busca de usar a tecnologia a favor do resultado do negócio.

Perfil: entender sobre o negócio da empresa, participar e conhecer o planejamento das áreas.

Remuneração: R$ 9 mil a R$ 11 mil

Motivo para alta neste semestre: empresas precisam de profissionais multitarefas, com alto poder de comunicação e influência no ambiente corporativo

Coordenador de FP&A (Planejamento e Análise Financeira)

O que faz. é tipicamente o backup (reserva de segurança) direto do controller. Analisa o resultado da empresa e propor melhorias baseadas em cenários financeiros.

Perfil: boa comunicação e um segundo ou terceiro idioma. Capacidade de relacionamento interpessoal para conectar diferentes áreas da empresa.
Remuneração: R$ 10 mil a R$ 15 mil

Motivo para alta neste semestre: as transações dentro do universo de finanças sofrem grande impacto durante a crise, e ainda não viram o volume de posições ser retomado. Porém, áreas estratégicas são atualmente uma necessidade crítica dentro das empresas.

Coordenador de Compras

O que faz: planejamento e negociação de insumos comprados por empresas ou indústrias.

Perfil: engajados nos negócios da empresa, são os principais agentes na redução de custo, tema central nas companhias.
Remuneração: R$ 8 mil a R$ 11 mil

Motivo para alta neste semestre: as empresas buscaram reforçar seus times de compras tentando melhores negociações, mais controles no processo e uma gestão estratégica dos investimentos.

Coordenador/ Especialista de M&A – fusões e aquisições nos mercados de Energia, Saúde, Imobiliário

O que faz: analisa, avalia e efetivamente conduz processos de M&A.

Perfil: precisa ser muito capaz e possuir grande profundidade técnica, ter números e conhecimento de mercado na ponta da língua e uma visão de negócios acima da média.

Remuneração: R$ 10 mil a R$ 15 mil

Motivo para alta neste semestre: em épocas de baixa de mercado, oportunidades de compra e venda se esfriam, porém, em momentos de retomada e confiança, essas oportunidades crescem tremendamente.

Coordenador ou gerente de Transformação Digital

O que faz: colabora para a transformação digital na empresa instaurando um marketing voltado para desempenho e resultados, com foco em mídias online.

Perfil: profissionais não necessariamente com formação em marketing. O mais importante é que tenham habilidades em Exatas e boa capacidade para gerenciar o ROI do departamento.

Remuneração: R$ 12 mil a R$ 18 mil

Motivo para alta neste semestre: empresas de todos os setores da economia estão em processo de transformação digital, na maior parte dos casos, com foco na experiência do usuário. Esse profissional passa a ser essencial nessa fase de mudança. E deverá permanecer em alta até a consolidação desse processo.

Gerente de Vendas Canal Indireto (Segmento: Bens de Consumo)

O que faz: responsável pelos resultados dos distribuidores e sua força de vendas, e tem o desafio de motivar, treinar e gerenciar indiretamente a força de vendas dos distribuidores e/ou atacados.

Perfil: capaz de influenciar e convencer a força de vendas, com foco em priorizar a linha de produtos da respectiva empresa e garantir que os times atuem de forma estratégica no ponto de venda. Importante: devido à extensão do território nacional e alto número de pequenos varejos espalhados no país, uma das poucas soluções para garantir a presença nacional é a parceria com esses distribuidores.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 25 mil

Motivo para alta neste semestre: as empresas de consumo estão demandando profissionais mais qualificados para atender esse canal, devido à complexidade das negociações com empresários que muitas vezes comandam distribuidoras com porte e faturamento superior as próprias indústrias.

 Gerente de Vendas – Segmento Energia

O que faz: identifica as oportunidades de negócio com geração, distribuição ou transmissão de energia.

Perfil: capacidade para planejar, treinar, avaliar e motiva o time de vendas. É uma posição vital para a sobrevivência e o crescimento da empresa.

Remuneração: R$ 18 mil a R$ 25 mil

Motivo para alta neste semestre: o mercado de energia está cada vez mais competitivo por isso várias empresas do setor estão se movimentando para aproveitar essa oportunidade. Percebemos posições dentro do segmento do mercado livre de energia, fabricantes de equipamentos e também as empresas EPCistas (Engineering, Procurement and Construction Contracts – Engenharia Aprovisionamento e Construção) desenvolvendo soluções de engenharia para geração, distribuição e transmissão de energia.

Gerente de Desenvolvimento de Novos Negócios (Logística)

O que faz: desenvolve de negócios multimodais, ou seja, faz a articulação entre vários canais de transporte.
Perfil: experiência em desenvolver negócios logísticos em multimercados, orientação para aumentar o número de clientes e elevar a margem de lucro das companhias.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 25 mil

Motivo para alta neste semestre: os operadores logísticos sofreram com a crise desde o ano passado, pois as grandes contas diminuíram o volume ou prorrogaram o prazo de pagamento. Por conta desse cenário, as empresas diversificaram suas áreas de atuação e atacaram os clientes de médio porte oferecendo soluções customizadas.

Gerente de Canais (Tecnologia)

O que faz: qualifica, treina, desenvolve e apoia os parceiros de negócios para atendimento aos clientes na região.

Perfil: capacidade de gerar expansão comercial, criar estratégias e políticas comerciais para canais de vendas de serviços. É importante prever plataformas de ofertas e plataformas digitais.

Remuneração: R$ 12 mil a R$ 18 mil

Motivo para alta neste semestre: desde o ano passado aumentou significativamente o número de empresas que vieram para o Brasil com a necessidade de atuar por meio de canais e outras com a exigência de mudar a operação do país e, assim, começar a atuar em formato de parceria.

Gerente de Assuntos Regulatórios

O que faz: cumpre os requisitos formulados pela ANVISA para os processos de registro, reunindo a documentação necessária. É fundamental informar a empresa sobre a publicação de qualquer registro, renovação ou alteração. Apoiar outras áreas da empresa em questões regulatórias.

Perfil: Farmacêuticos e Químicos que optaram por uma carreira corporativa e técnica.

Remuneração: R$ 16 mil a R$ 22 mil

Motivo para alta em 2018: as empresas estão em fase de lançamentos de produtos e renovação de registros. Estão lidando com muitas cobranças das áreas técnicas e regulatórias.

Gerente de Operação de Franquias

O que faz: gerencia o grupo de franquias trazendo processos de gestão e acompanhamento de resultados em que se busca a coerência no modelo de operação.

Perfil: profissionais com experiência em franquias com capacidade de gerenciar grandes times com significativo volume de informações.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 25 mil

Motivo para alta em 2018: muitas empresas expandiram o número de franqueados nos anos anteriores e agora precisam manter o ritmo da operação.

Gerente de Crédito

O que faz: é responsável pelos pilares de modelagem, cobrança e políticas internas. Desenvolve e gerencia as estratégias dos produtos de crédito em linha com as diretrizes da instituição financeira, sempre buscando mitigar riscos de mercado, liquidez e operacional.

Perfil: profissionais com background voltado em instituições financeiras, com perfil analítico e de execução.

Remuneração: R$ 16 mil a R$ 20 mil (considerando uma reunião mensal), dependendo do porte da empresa.

Motivo para alta em 2018: com a crise e altos índices de inadimplência no mercado, as instituições financeiras estão tendo que redefinir suas políticas e estratégias de crédito procurando mitigar riscos e melhores práticas de mercado.

Gerente de Planejamento Financeiro

O que faz: consolida resultados corporativos, elabora orçamento e previsão de vendas, fazendo interpretações e relatórios sobre variações e atingimento de metas para a diretoria ou matriz.

Perfil: geralmente mais sofisticados, com conhecimento fluente de outros idiomas como inglês e espanhol, além de boa formação acadêmica. Complementam o perfil analítico tradicional de finanças, com competências de influência, boa comunicação e relacionamento interpessoal.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 35 mil

Motivo para alta em 2018: após um período de crise, as empresas concentraram-se na organização de processos, melhoria do compliance e redução de custos. Neste ano, as companhias voltaram a pensar em seus objetivos de médio prazo, fazendo análises de novos produtos e serviços a serem lançados nos próximos anos.

Head de Recursos Humanos (Diretor/Gerente)

O que faz: primeira pessoa de RH, responsável pela implantação da área, principalmente Talent Management. Definição de cultura e valores e rápido retorno ao negócio.

Perfil: mentalidade de business partner e perfil de análise. Experiência em empresas com alta maturidade de RH e vivência em estruturação de produtos.

Remuneração: R$ 20 mil a R$ 30 mil

Motivo para alta em 2018: quem puxou o crescimento dessa posição foram as startups, com o aporte de investidores.

 Controller

O que faz: responsável pelos controles financeiros e relatórios da companhia, garantindo que os processos das áreas envolvidas estejam alinhados e funcionando da melhor forma. As atividades variam muito entre empresas e, geralmente, envolvem rotinas voltadas às áreas de contabilidade, controladoria, planejamento financeiro e também acompanhamento de processos internos.

Perfil: normalmente profissionais que tenham iniciado sua carreira em posições contábeis ou de controladoria. Apresentam perfis técnicos e bastante analítico.

Remuneração: R$ 15 mil a R$ 35 mil

Motivo para alta em 2018: Empresas que enfrentaram a necessidade de diminuir cargos importantes durante a crise dos últimos anos vem apresentando um crescimento importante, aumentando a necessidade de buscarem profissionais sêniores e com visão mais abrangente.

 CFO – Diretor de Finanças

O que faz: gerencia as operações financeiras e mitigar os riscos do negócio, dando suporte direto no desenvolvimento de estratégias para a empresa e contribuindo na tomada de decisões. Normalmente, as áreas de controladoria, contabilidade, planejamento financeiro, tesouraria e auditoria ficam sob sua gestão.

Perfil: profissionais que já tenham tido experiência sólida em alguma área de finanças, como tesouraria ou planejamento financeiro, e que ao longo de sua carreira foi agregando mais funções ao cargo. Este profissional costuma chegar à cadeira de diretoria por ter uma visão ampla e estratégica do negócio, bom relacionamento interpessoal, além de boa formação e conhecimento de idiomas.

Remuneração: R$ 20 mil a R$ 80 mil

Motivo para alta em 2018: ao longo dos últimos 10 anos, o perfil demandado do CFO mudou, as empresas passaram a demandar um profissional que tenham um background sólido em controles e processos, por exemplo. Com a retomada de mercado, entende-se que o CFO com visão mais estratégica e voltado ao negócio também volte a ser requisitado.

cio de Contencioso Cível – Direito

O que faz: coordena equipes de advogados processualistas e atua com profundo conhecimento técnico na esfera cível. Além disso, normalmente, é responsável por captar clientes e manter a relação próxima a estes. Muitas vezes também devem cuidar de atividades administrativas do escritório.

Perfil: neste momento as empresas buscam profissionais de perfil bastante sênior, tanto com experiência técnica de longo período como com excelente leitura de mercado e relação com clientes

Remuneração: R$ 20 mil a R$ 50 mil

Motivo para alta em 2018: em momentos de crise e de baixa circulação de dinheiro, a tendência é que os conflitos e as disputas aumentem, o que gera também mais processos. E como ainda vivemos um momento de instabilidade econômica e política, a posição está em alta.