Sérgio Moro comete erro básico de português durante entrevista

Em entrevista no programa Roda Viva, o juiz federal tropeçou numa regra de português que é simples, mas pega muita gente. O professor Diogo Arrais explica

Durante a entrevista do juiz Sérgio Moro no programa Roda Viva, da TV Cultura, tive a curiosidade de separar um trecho dito por ele:

“…mas havia todo um anseio da população para que houvessem reformas legislativas que incrementassem a eficiência do sistema em relação a esse tipo de criminalidade.”

Como se sabe, o “haver”, quando utilizado como impessoal, deve concordar na 3ª pessoa do singular. Isso ocorre porque o verbo não tem sujeito, ou seja, alguém que execute a ação. É “haver” no sentido de “existir”. Vejamos:

“Havia inúmeros protestos no Brasil.”
“Se houvesse reformas legislativas, o sistema seria eficiente.”
“…para que houvesse reformas legislativas no Brasil.”

Além disso, caso esteja em locução verbal (conjunto de dois ou mais verbos), também fica invariável o auxiliar do verbo haver impessoal:

“Deveria haver inúmeros protestos na Petrobras.”
“Há de haver novas leis contra a lavagem de dinheiro.”
“Pode haver, ali, desvio de verba.”

Ainda sobre um trecho da fala do eminente doutor Sérgio Moro, chama-me atenção o uso de “todo um”. Apesar de ser mais comum a combinação entre “todo” e o artigo definido (indicando a totalidade de algo), é possível encontrarmos sim o artigo indefinido.

Expõe assim Evanildo Bechara, em pesquisa:

“Desaparece, naturalmente, a vacilação quando, em vez do artigo definido, aparecer o indefinido um, pois aí todo um denota inteiro, total: todo um dia (a par de um dia todo), toda uma cidade, construção, aliás, sem razão, rejeitada por puristas intransigentes.”

Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

Diogo Arrais – @diogoarrais
Canal MesmaLíngua
Autor Gramatical pela Editora Saraiva
Professor de Língua Portuguesa

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ellison Oliveira Madeira

    Como dizia Patativa de Assaré: “É melhor escrever errado a coisa certa do que escrever certo a coisa errada…”

  2. Como sempre, essa mídia de esquerda achando guampa em cabeça de cavalo. O autor dessa bosta teria sido mais feliz se tivesse analisado o conteúdo da matéria. Só para constar que o português que se vê na faculdade de direito é o básico. Se o sujeito quer ser um exímio escritor e conhecer a língua pátria na sua totalidade, deve estudar letras (não em uma universidade pública é claro, porque se assim o fizer o máximo que vai conseguir, é escrever artigos para revistas como a veja, a istoé e outras do mesmo (baixo) nível. E duvido que meu comentário seja publicado, afinal, ele não é agradável aos olhos desse bando de comunista alienado que domina as redações.

  3. duo arquitetura

    A revista Exame considera a gramática mais importante que o conteúdo.
    Está aí a prova de que o conteúdo não inporta!

  4. Julio Amorim

    Todavia acertou em cheio nos petralhas…..

  5. Ederson Carvalho

    Dor de cotovelo? passa gelol que passa… #EUAPOIOALAVAJATO!

  6. Esse tipo de matéria desvaloriza a revista. Conteúdo de extrema pobreza frente à gravidade e momento histórico q o país passa.

  7. Momento histórico e fazem uma matéria sem a mínima relevância.. ☹️☹️ Esses soldadinhos de Gramsci no jornalismo são muito fraquinhos…

  8. Leandro Martins

    Realmente quem criou esta matéria não tem o que fazer e não tem nada mais importante para se preocupar. Já Imaginou se fossem criar uma matéria para cada erro de português que o ex-presidente Lula cometesse? Só teríamos matérias sobre isso todos os dias do ano!!

  9. Para os 90% de leitores que não entenderam essa matéria pobre de clareza, o erro foi: “para que HOUVESSEM reformas legislativas”. O correto seria: “para que HOUVESSE reformas legislativas”. Contudo, Sérgio Moro é conhecedor da ideologia que prega ser a ortodoxia gramatical uma forma de opressão da elite contra o proletariado, e por essa razão comete alguns deslizes como forma de protesto contra tal sistemática capitalista. :)

  10. Esse observação sobre o erro de português é tão absurda, que dá nojo dessa revista.
    Nunca ví nenhuma correção sobre as falas do Lula e seus erros absurdos, pois sequer sabe usar o plural, assim como nunca vi nenhuma correcção sobre as falas da Dilma, que não sabe falar e nem o que fala.
    A Abril com sua postura, está cada dia menor e, em breve, comemoraremos seu fechamento.
    Desculpem meus erros… neste momento prefiro o conteúdo da entrevista do Moro, do que os erro gramaticais.

  11. Eduardo Machado

    Agora faz uma matéria com os erros do Lula. Vai dar uns 20 livros. Se contar os da Dilma, dá pra fazer uma enciclopédia. 😂

  12. MANOEL QUEIRÓS DA SILVA

    Ridícula!
    Essa é a definição para esta matéria.

  13. TEODORO JACOB WINKLER

    Enquanto isso os PTralhas falam “NÓIS PEGA A PEXE” e acham que é erudito. hahahahahahah.

  14. Danielle Ferreira

    Se não tem argumentos contra uma pessoa, comece a corrigir sua ortografia e gramática.

  15. juana antonia da silva

    ainda bem , graças a Deus, ele não cometeu erro ao incriminar o Luladrão e não vai cometer erro algum na hora da canetada pra por aquele verme na grade. Aleluia.!!!!!!

  16. Nara MCäsar

    Sério isso? Uma excelente entrevista e a revista foca em algo insignificante para o contexto? Quantas vezes dissecaram o português fluente da “Dra.” Dilma e do “Dr.” Lula? Esse tipo de artigo vai bem com a turma que está reclamando da série “Mecanismo”, reclamam da FICÇÃO, mas, em momento algum se revoltam contra a corrupção sistêmica que tomou conta do país. Não é à toa que a imprensa está cada vez mais desacreditada.

  17. Medíocre, desnecessária e estúpida a matéria. A honra e o legado do entrevistado estão tão acima da insignificância dos apontamentos que chega a dar vergonha alheia essa publicação.

  18. Edirley Perini

    Já que o assunto é o erro de português, no caso em questão, de um juiz de 1° instância, gostaria que fizessem essa análise também nos discursos de Lula e Dilma, afinal, muito mais que um juiz, ambos foram presidentes da maior nação da América Latina. Que tal?

  19. Giovanni Rambo

    Parabéns exame! Vocês deveriam receber um prêmio por matéria mais mesquinha do ano!

  20. Ricardo Amorim

    Matéria desnecessária…. Julgar uma pessoa, sob forte stress de um programa ao vivo por um erro de português…. de duas uma ou quer holofotes e atenção sem esforço ou quer holofotes e atenção sem fazer esforço. Piada. me admira o editor conceder espaço para isso !!!

  21. Ricardo Amorim

    Matéria desnecessária…. Julgar uma pessoa, sob forte stress de um programa ao vivo por um erro de português…. de duas uma; ou quer holofotes e atenção sem esforço ou quer apenas virar piada. Me admira o editor conceder espaço para isso !!!

  22. Claudio Bandeira

    Errou a gramática mas acertou em cheio o professorzinho de meia tigela esquerdista… rs

  23. Nossa, temos um “Xeroque Rolmes” aqui! Melhor cancelar todas as decisões do juiz, tendo em vista esses erros absurdos de português. Nada melhor do que “mulheres sapiens” e outras pérolas, né não?

  24. Exatamente. Deve ser do mesmo time da “jornalista” da outra revista, que mais um pouco ia perguntar “qual sua cor favorita? E seu prato preferido?” kkkkkkk jornalistas gostam de passar vergonha.

  25. Ta maluco amigo? Como ousa duvidar da capacidade de nossa “mulher sapiens”? Kkkkkkkk

  26. E o “profefo”? Kkkkkk

  27. É sério que vocês se apegaram a isso!? pqp

  28. Marcio Conservador

    A revista deveria usar o professor em seus textos, sempre cheios de erros de português. Pois ao contrário de uma entrevista onde o falante se expressa informalmente com linguagem coloquial, um meio de comunicações ao dar “notícias”, geralmente tão irrelevantes quanto esta, não deveria se dar ao luxo de errar!

  29. Que ridículo!!!
    Uma entrevista longa e importante e o sujeito simples que aqui escreveu se preocupou com tamanha bobagem. Vão se danar. Ou seria vá se danar. Tenho certeza que entendeu.

  30. Marcio Strapação

    Olha … ganhei de vocês seis meses grátis da revista. Podem enviar a outro. Não gastem mais tempo comigo, não serei mais assinante. Obrigado pelo serviço.

  31. Gilmar Grespan

    Como professor de Língua Portuguesa, posso garantir que esse tipo de erro, na linguagem oral, é perfeitamente normal e perdoável. Com certeza, o magistrado nunca cometeria esse deslize na linguagem escrita, pois tem uma sólida formação intelectual. O triste é saber que tivemos um presidente da República semianalfabeto, que é incapaz de redigir um bilhete de cinco linhas. Isso é que é triste.

  32. Que exista cada vez mais e mais juizes que cometam erros de português mas que acerte como ele no jugamento de bandidos corruptos como ele vem fazendo com maestria, esta historia de erro de português e igual aquela do vendedor que sempre tirava pedidos com vários erros de português e os demais vendedores catedradicos tiram 1 quinto de vendas dele, o dono da empresa vendo o excelente resultado do faturamento da empresa chamou o funcionário que cometia erros de grafia e o que ele fez? Curso de português? Não, obrigou os demais vendedores a escreverem errado e venderem mais.

  33. Felipe de Paula

    Que matéria mais cretina cara! Chega a a ser patética! Que desespero é esse em desqualificar o trabalho do Sergio Moro?

  34. Percebi, mas ante tudo o que o Juiz Sérgio Moro disse de importante, de verdadeiro, de ético, essa reportagem sobre esse assunto é insignificante. Por favor, publiquem as mensagens claras e as subentendidas que o Juiz disse.

  35. Caro Diogo, sem partidarismo, acredito que “básico” é uma questão de ponto de vista. Para você, jornalista, pode até ser. Mas para o Moro, que estudou Direito (e não Letras), acredito que não. O engraçado é que você aponta o dedo, mas também comete erros em seu texto. Citarei dois apenas neste parágrafo:
    — ‘Como se sabe, o “haver”, quando utilizado como impessoal, deve concordar na 3ª pessoa do singular. Isso ocorre porque o verbo não tem sujeito, ou seja, alguém que execute a ação. É “haver” no sentido de “existir”. Vejamos:’ — 1) Seria mais adequado empregar o termo “isto” no lugar de “isso”, em virtude da proximidade com a referência ao uso do verbo haver. 2) No final deste trecho, faltou uma vírgula entre as palavras “haver” e “no sentido de existir” (haver, no sentido de existir) para imprimir uma pausa que justifica a intenção de uso do verbo. Se concordar comigo, espero que tenha humildade e publique este comentário. Caso contrário, o print já está dado, até porque deve estar faltando pauta pra você procurar pelo em casca de ovo, falando sobre um erro que derruba muitos concurseiros nas provas de português (e que não tem nada de básico). A propósito, quem lhe escreve é um Engenheiro. Então, me perdoe se cometi algum erro “básico” neste comentário.

  36. Marcos Andrade Rodrigues

    Serio que um erro de português foi diguino de tamanha repercussão para se realizar uma matéria so sobre isso.?
    Eu adimiro muito o Moro.
    Cercado de carniceiros louco para captar um deslize o unico que ele deu foi um deslize na lingua portuguesa.
    #moronorodaviva ou #moronacovadosleoes?

  37. Cândido Santana

    Diogo,bom dia! Você observou o erro gramatical de Sérgio Moro,por que você não observa também o erro dos apresentadores de telejornais?
    RÉCORDE,em vez de: RE-COR-DE,O PERSONAGEM,em vez de:A MINHA PERSONAGEM! Será que eles não estão precisando de correção?

  38. Vanessa Bedran

    Parabéns por esta matéria, Diogo Arrais. Super importante e necessária para a nossa sociedade!
    Até que enfim alguém descobriu um erro do Moro, o sonho dos petralhas. Lula, agora vc consegue processar o Moro e vai ganhar esra causa, viu???
    Kkkkk

  39. Vanessa Bedran

    Parabéns por esta matéria, Diogo Arrais. Super importante e necessária para a nossa sociedade!
    Até que enfim alguém descobriu um erro do Moro, o sonho dos petralhas. Lula, agora vc consegue processar o Moro e vai ganhar esra causa, viu???
    Kkkkk

  40. Vanessa Bedran

    Parabéns por esta matéria, Diogo Arrais. Super importante e necessária para a nossa sociedade!
    Até que enfim alguém descobriu um erro do Moro, o sonho dos petralhas. Lula, agora vc consegue processar o Moro e vai ganhar essa causa, viu???
    Kkkkk

  41. Luiz Henrique

    Milhões de histérico engoliram “Presidenta”. Mas ninguém falou nada.

  42. Luiz Henrique

    Milhões de histéricos engoliram ” Presidenta”. Mas ninguém falou nada. Duplo padrão moral.

  43. Josias Soares

    Matéria ridícula! Conteúdo zero!

  44. Antonio Nunes Junior

    Professor! Por favor me diga onde encontrar sua enciclopédia de correções de erros em falas públicas do Lula e da Dilma! Esses coxinhas vivem a dizer que eles falam errado.

  45. Antonio Nunes Junior

    Professor! Por favor me diga onde encontrar sua enciclopédia de correções de erros em falas públicas do Lula e da Dilma! Esses coxinhas vivem a dizer que eles falam errado.

  46. Jabesmar Guimarães

    Já que o articulista ama tanto a língua pátria, indico a ele uma rica fonte de mau uso dela.
    Analise os discursos da ex-presidente (não presidenta) que você terá artigos para escrever até o fim da sua vida.

  47. mateus oliveira

    R.i.P jornalismo

  48. …havia maneira de estocar o vento para que fosse possível de alguma maneira se possível guardar o vento para que o vento fosse utilizado de maneira mais eficiente na produção de energia solar.

  49. …havia maneira de estocar o vento para que de alguma maneira se possível guardar o vento para que o vento fosse utilizado de maneira mais eficiente na produção de energia solar.

  50. Edgar dos Santos

    O cara é um dos responsáveis pelo maior processo de combate a corrupção no país mais corrupto do mundo e esse LIXO DE REVISTA faz uma matéria sobre um erro de português. Isso mostra claramente a intenção dessa mídia corrupta, corrompida.

  51. Rejânio A. Feron

    Só isso foi visto por esse repórter capacho? Ele representa a revista?

  52. Jonathan Mendel

    E uma entrevista poxa, usamos linguagem coloquial e não formal. Matéria mais inútil que já vi na Exame, usando Moro como Clickbait. Com certeza inúmeras outras pessoas cometem esse erro em entrevistas.. mas não… vamos falar do Moro kkkkk

  53. Jonathan Mendel

    A revista é boa mano, só esse jornalista de botequim que não tinha matéria

  54. José Andrade

    Errado mesmo é condenar inocentes e fazer ouvidos moucos quanto aos crimes dos amigos !

  55. Esquerda enlouquecida pois não conseguiu produzir nada com as asneiras perguntadas pelo jornalisteco da folha de SP e a mula falante da exame.

  56. Dalton Borges

    O cartunista Paulo Caruso também errou feio e ninguém falou nada.
    No vídeo oficial do Canal Cultura, com o programa completo, você poderá conferir o erro primário que o cartunista cometeu em uma de suas ilustrações. Aos 32:09 minutos do vídeo, o cartunista escreveu: “A noção de Habeas Corpus ganhou corpo e FICO meio obesa!”
    Obviamente, não há como dizer que foi um erro de digitação… rsrsrs…
    E já que o assunto era política, o fato é que, cada vez mais, as pessoas estão se acostumando com a cultura esquerdista e comunista que vem sendo implantada no Brasil, há anos.
    – Eliminaram matérias que se faziam importantes no ensino
    – Fizeram um acordo para transformar, de forma totalmente equívoca, a Língua Portuguesa
    – Implantaram a tal ideologia de gênero

    Ah, sim, eu tenho saudade de quando eu aprendia com respeito mútuo e disciplina. Saudade de quando, antes de entrar às salas de aula, nós, alunos, cantávamos hinos!

  57. Francisco Nogueira

    Aí o sujeito vem se ater a um deslize eventual numa fala, quase que imperceptível, mas não faz nenhuma crítica corretiva quando redatores dessa mídia jornalística fuleira “assassinam”, todos os dias, as regras gramaticais em seus textos. É muita hipocrisia!

  58. judson benedito brisolla franchi

    Caramba, esse dito cujo tido como erudito desse arrais de molusco vem querer o que?
    Desqualificar um dos poucos honrados brasileiros que é Sérgio Fernando Moro ?

    Isso é defesa subliminar do ilustre semi analfabetismo da quadrilha de lula.

    Não passa de um palhaço.

  59. Wendell Goncalves

    Que reportagemmmm… Pelas barbas do profeta!